Casillas x Buffon: Liga dos Campeões opõe goleiros-ícone dos anos 2000

Bruno Doro

Do UOL, em São Paulo

  • AP Photo/Massimo Pinca

Gianluigi Buffon tem 39 anos. Iker Casillas, 35. Somadas as conquistas de cada um, a dupla venceu duas Copas do Mundo, duas Eurocopas, três Champions League, 12 campeonatos nacionais e nove prêmios de melhor goleiro do planeta. Poucos arqueiros exemplificam como eles o que foi o futebol europeu das últimas duas décadas. E, nesta quarta-feira, às 16h45, na cidade do Porto, os dois estarão, mais uma vez, frente à frente.

Buffon invicto contra Casillas na Champions

Casillas é goleiro do Porto, mas defendeu o Real Madrid por quase toda a sua carreira. Foi titular do clube em três conquistas da Liga dos Campeões. Buffon, titular da Juventus desde 2001, nunca venceu o torneio Europeu. Mesmo assim, é do italiano a vantagem no confronto: ele nunca perdeu um mata-mata da competição europeia para o rival espanhol.

Em 2015, a Juve venceu o Real por 3 a 2 (no agregado) e foi à decisão – e terminou derrotada. Em 2004, o duelo foi para a prorrogação, mais uma vez com vitória italiana, pelas oitavas de final – a Juventus parou nas quartas, eliminada pelos eventuais campeões do Liverpool. Em 2003, mais uma vez na semi, a Juventus venceu por 4 a 3 no agregado. Na final, o time foi derrotado pelo Milan (do goleiro brasileiro Dida) nos pênaltis.

Casillas levou duas Euros contra Buffon

Casillas, porém, tem uma vantagem muito importante no duelo quando o assunto são as seleções. Enquanto cada um venceu uma Copa do Mundo (Buffon em 2006 e Casillas em 2010), só o espanhol venceu a Eurocopa. Duas, para ser preciso. E em ambos os títulos ele derrotou a Itália com Buffon no gol. Em 2008, a vitória veio nas oitavas de final, nos pênaltis. Casillas defendeu duas cobranças, Buffon pegou uma. Quatro anos mais tarde, foi mais tranquilo: vitória por 4 a 0 dos espanhóis.

Para o duelo desta quarta-feira, o favoritismo é de Buffon, mas a melhor fase é de Casillas. O time português é dono da melhor defesa entre as cinco grandes ligas da Europa. O goleiro foi vazado apenas 11 vezes em 22 jogos no Campeonato Português. Como comparação, a Juventus levou 17 em 25 partidas. Para quem reclama da disparidade entre os campeonatos em Portugal e Itália, é bom lembrar: com Casillas no gol, o Porto eliminou a Roma, vice-líder do Italiano, na fase preliminar da Liga dos Campeões, incluindo uma vitória por 3 a 0 na capital italiana.

A fase de Buffon pode não ser tão boa, mas ainda assim merece respeito. A Juventus venceu os últimos cinco Campeonatos Italianos, sempre com o goleiro em destaque – ele já foi eleito o melhor do país na posição oito vezes. Nesta temporada, nem mesmo os constantes problemas físicos que seus zagueiros vêm enfrentando (nenhum dos membros do trio BBC, Barzagli, Bonucci e Chiellini, por exemplo, jogou mais do que 17 das 34 partidas da equipe) atrapalha o bom rendimento defensivo. Os 17 gols sofridos na Série A podem representar um rendimento inferior ao do Porto em seu campeonato nacional, mas ainda são cinco gols sofridos a menos do que a segunda melhor defesa da competição, da Roma.

Dois goleiros, quatro clubes

Outra coincidência entre os dois é o número de clubes que cada um defendeu na carreira. O Porto é o segundo time de Casillas. Após o título da Euro de 2012, ele começou a perder a confiança da torcida e dos técnicos do Real Madrid. O primeiro a colocá-lo na reserva foi o português José Mourinho, mas seus sucessores, o italiano Carlo Ancelotti e o espanhol Rafa Benitez, também mantiveram a dúvida sobre o desempenho do maior goleiro espanhol de todos os tempos (pelo menos em número de conquistas internacionais). Desde que chegou ao Porto, porém, se tornou titular indiscutível e vem tendo uma temporada acima da média.

Buffon também tem apenas dois clubes. Ele começou a carreira no Parma e joga na Juventus desde 2001. Em 16 temporadas, soma sete títulos italianos, duas Copas da Itália e cinco supertaças da Itália – ele ainda venceu a Copa da Itália e a Supertaça da Itália pelo Parma. Outro título é tão importante quanto todos esses: o da Série B de 2007, por tudo o que ele representa.

Em 2006, a Juventus foi punida por ter participado de um esquema de manipulação de resultados e perdeu os títulos de 2005 e 2006 do Italiano. Também foi rebaixado. Enquanto muitas estrelas deixaram o time, Buffon seguiu por lá. Venceu a Segundona e ajudou na reconstrução do time.

UOL Cursos Online

Todos os cursos