Após novo 5 a 1, Wenger diz que Arsenal jogou bem e dispara contra árbitro

Do UOL, em São Paulo

O técnico Arsene Wenger se mostrou revoltado com a arbitragem após a derrota do Arsenal por 5 a 1 para o Bayern de Munique, nesta terça-feira (7), pelas oitavas de final da Liga dos Campeões. Com o mesmo resultado do jogo de ida na Alemanha, o time inglês acabou eliminado com uma derrota por 10 a 2 no placar agregado.

"O cartão vermelho foi inexplicável, escandaloso", disse Wenger após o jogo, referindo-se à expulsão do zagueiro Koscielny após marcação de pênalti duvidoso sobre Lewandowski. Inicialmente o zagueiro recebeu cartão amarelo, mas logo depois o árbitro Tasos Sidiropoulous mudou de ideia e aplicou o vermelho.

O treinador também reclamou de um pênalti sobre Walcott no primeiro tempo, e disse que Lewandowski estava impedido na jogada em que recebeu a falta de Koscielny.

Stefan Wermuth/Reuters

Há 21 anos no comando do Arsenal, Wenger não quis comentar sobre os protestos de torcedores pedindo a sua saída, e nem confirmou se essa foi sua última Liga dos Campeões como técnico do clube. Ele também elogiou a "determinação" do time, que vencia por 1 a 0 até o lance da expulsão, no início do segundo tempo.

"São aspectos difíceis do jogo que explicam por que fomos eliminados. Eu acho que produzimos o jogo que queríamos, mas fomos muito prejudicados por algumas decisões. Meu time fez um grande esforço e jogou muito bem. Quando você está com um a menos e precisa fazer quatro gols, fica impossível na cabeça dos jogadores", afirmou.

Essa foi a sétima eliminação seguida do Arsenal nas oitavas de final da Liga dos Campeões. Wenger possui contrato somente até o final da temporada, e o clube londrino ainda não confirmou se oferecerá uma renovação.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos