Barcelona deve encarar Juventus com esquema que naufragou na França

Bruno Doro

Do UOL, em São Paulo

  • AFP PHOTO / CHRISTOPHE SIMON

    Cavani contra Piqué e Ter Stegen: Juventus vai encarar o mesmo sistema defensivo

    Cavani contra Piqué e Ter Stegen: Juventus vai encarar o mesmo sistema defensivo

A humilhante derrota por 4 a 0 na França foi um marco para a temporada do Barcelona. Pela primeira vez em muito tempo, os defeitos do time catalão ficaram óbvios para o mundo: defesa exposta, laterais fracos na defesa e um meio-campo inoperante. Restava apenas o ataque brilhante formado por Neymar, Messi e Suárez.

Como quase todo mundo sabe, o Barcelona virou o confronto, graças a Luís Enrique, que percebeu os problemas do Barcelona e corrigiu a maioria. A principal mudança foi na defesa: passou do 4-3-3 para o 3-4-3, usando Umtiti, Piqué e Mascherano no meio da defesa – e mandando Sergi Roberto, considerado o elo mais fraco do time na lateral direita, de volta ao meio-campo, brigando por uma vaga para entrar em campo.

Foi nesse 3-4-3 que o Barça virou sobre o PSG, venceu por 6 a 1 no Camp Nou e se classificou para as quartas de final. Nesta terça-feira, jogo de ida contra a Juventus, o primeiro jogo da competição desde a goleada, porém, a equipe vai voltar ao 4-3-3. E não será por opção de Luís Enrique: Busquets levou um cartão amarelo ainda no primeiro tempo daquela partida e está suspenso.

O problema é que, mesmo não vivendo uma fase espetacular, Luís Enrique tem poucas opções para substituí-lo. O único do elenco que vai bem na função, até agora, é Javier Mascherano. Só que, se for para o meio-campo, o argentino deixa um lugar vago na defesa. E, repetindo a situação de Busquets, Masch também não tem reservas à altura.

Enquanto o trio formado por Masch, Umtiti e Piqué estavam na defesa nas duas vitórias mais importantes desde os 6 a 1 (4 a 2 sobre o Valencia e 3 a 0 sobre o Sevilla), nas duas derrotas pelo menos um dos membros do trio não jogou nas duas derrotas sofridas no mesmo período. O francês Mathieu, por exemplo, fracassou no último domingo, nos 2 a 0 para o Málaga. Já a improvisação de Alba como zagueiro foi usada nos 2 a 1 para o La Coruña.

No meio-campo, as opções também não são as mais promissoras. André Gomes, contratado no início da temporada, seria o substituto imediato de Busquets. Mas ele foi outra das vítimas dos 4 a 0 do PSG, saindo muito criticado da goleada. Outra opção seria improvisar Rakitic na função. Mas isso mostraria outra brecha no elenco: dois meio-campistas mais ofensivos, o brasileiro Rafinha e o turco Arda Turan, estão machucados.

O resultado de tudo isso? Para a partida desta terça-feira, os jornais apostam na mesma defesa dos 4 a 0: Sergi Roberto, Umtiti, Piqué e Alba. E boa sorte para os torcedores do Barcelona, que mais uma vez verão uma linha de defesa em quem não confiam contra um ataque letal. Se em Paris os rivais eram Draxler, Lucas e Cavani, em Turim do outro lado estarão Higuain, Dybala e Mandzukic.

UOL Cursos Online

Todos os cursos