Um dia após atentado, Dortmund perde para Monaco com 2 de "novo Henry"

Do UOL, em São Paulo

Borussia Dortmund e Monaco se enfrentaram um dia após o ataque ao ônibus do clube alemão. Em uma partida com homenagens ao zagueiro Marc Bartra antes de a bola rolar, o time francês soube se impor e aproveitar falhas adversárias para levar uma boa vantagem para o jogo de volta, na França: 3 a 2, com dois gols de Mbappé.

O duelo estava previamente marcado para a última terça-feira (11), mas acabou adiado após o ônibus que levava a delegação do Borussia Dortmund ser alvo de uma explosão. No incidente, o zagueiro Marc Bartra acabou quebrando o braço e precisou ser operado.

Com o resultado, o Monaco poderá perder por 1 a 0 ou 2 a 1 que estará classificado. Ao Borussia Dortmund restará vencer por dois gols de diferença ou por um, mas tendo marcado mais de quatro gols. Caso a partida de volta termine em vitória alemã por 3 a 2, o jogo irá para a prorrogação.

O próximo duelo está marcado para quarta-feira, 19 de abril.

Fabinho desperdiça pênalti no início

AFP PHOTO / PATRIK STOLLARZ

Talvez ainda impactada com o que ocorrera na terça-feira, a equipe do Borussia Dortmund começou a partida sendo dominada pelo Monaco. Logo aos 15 minutos do primeiro tempo, Mbappé foi lançado nas costas da defesa e o árbitro entendeu que Sokratis o puxou dentro da área. Pênalti.

Na cobrança, o brasileiro Fabinho bateu cruzado, mas mandou para fora do gol de Bürki. O brasileiro costuma ter um bom aproveitamento nas penalidades. Na atual edição do Campeonato Francês, ele já converteu sete pênaltis.

Monaco faz gol impedido, mas árbitro valida

O Monaco precisou de apenas três minutos para se recuperar do pênalti perdido. Logo na sequência, Bernardo Silva puxou ataque pelo meio e tocou para Lemar. O meia bateu cruzado e a bola desviou no joelho de Mbappé antes de morrer no fundo das redes de Bürki. O atacante, no entanto, estava em posição irregular, mas o árbitro mandou o jogo seguir e validou o gol.

Bender amplia para o Monaco, contra

Após o gol, o Borussia Dortmund melhorou na partida e começou a assustar mais o Monaco. Aos 30 minutos, Kagawa pegou de primeira um cruzamento de Ginter, mas mandou rente à trave direita de Subasic.

A pressão alemã, porém, levou uma ducha de água fria aos 34 minutos. Raggi cruzou para a área e Bender cabeceou para fazer o gol contra. O zagueiro do Borussia Dortmund reclamou de uma possível falta de Falcao, que estava relativamente distante, mas o árbitro mandou seguir e validou o tento francês.

Dortmund melhora com fim das "invenções" e diminui

O técnico Thomas Tuchel é conhecido por testar jogadores em posições diferentes das originais. Na partida contra o Monaco, ele improvisou três atletas: o zagueiro Ginter fez a função de lateral, o lateral Guerreiro foi para a ponta esquerda e o lateral Piszczek, para a ponta direita. Os testes, porém, mostraram um Dortmund perdido em campo e com um lado direito extremamente vulnerável – os dois gols do Monaco saíram por aquele lado.

Logo no intervalo, Tuchel deixou de lado as invenções fez o básico: colocou o meia Sahin no lugar de Bender e Pulisic no lugar de Schmelzer. Dessa maneira, montou uma linha de quatro na defesa, um meio-campo formado por cinco jogadores e Aubameyang isolado na frente.

A mudança mostrou eficaz logo de cara. Aos 12 minutos, Sahin recebeu aberto e cruzou para a área. Aubameyang, de costas, tocou de calcanhar para Kagawa, que deu toque para tirar de Suabasic e deixar Dembélé livre para diminuir o placar.

Piszczek vacila e Mbappé faz o terceiro do Monaco

"Novo Henry" do Monaco, o atacante francês Mbappé fez o terceiro do time aos 33 minutos do segundo tempo. E contou com uma bela ajuda da zaga do time anfitrião. No lance, Piszczek deu passe curto para Sokratis, a jovem estrela antecipou a trajetória da bola e saiu na cara do gol de Bürki. Com calma, Mbappé colocou a redonda no ângulo, no canto esquerdo do goleiro, que não pode fazer nada para evitar o tento dos visitantes.

Kagawa diminui o prejuízo. E que golaço

O meia japonês Kagawa, do Dortmund, respondeu rápido ao terceiro gol do Monaco, marcado aos 33 minutos. Aos 38, ele recebeu cruzamento na área, tirou o zagueiro brasileiro Jamerson do lance com corte seco e bateu de canhota para diminuir a diferença. Um belo tento.

Homenagens a Bartra antes da partida

PATRIK STOLLARZ/AFP

Antes da partida, os jogadores do Borussia Dortmund prestaram uma homenagem ao zagueiro Marc Bartra, ferido no ataque ao ônibus do clube. Os atletas entraram em campo com uma camisa escrito "mucha fuerza" (muita força, em espanhol) e uma imagem do defensor.

Nas arquibancadas, até mesmo os torcedores do Monaco gritavam "Dortmund, Dortmund". Bartra chegou a ter sua imagem exibida no telão do estádio antes de a bola rolar.

Torcida dá show com mosaico fixo

Apesar do clima de tensão, a torcida do Borussia Dortmund preparou algo especial para o duelo. Os fãs se vestiram com coletos pretos e amarelos e formaram um gigante mosaico com as letras "BVB", sigla do clube, durante toda a partida.

Treinador do Dortmund não queria o jogo nesta quarta-feira

Reuters / Kai Pfaffenbach

O técnico Thomas Tuchel se mostrou incomodado com o fato de a partida entre Borussia Dortmund e Monaco ser obrigada a acontecer apenas um dia depois do ataque ao ônibus do clube alemão. Em entrevista à emissora alemã "DW", o comandante disse preferir que tivesse mais tempo para os jogadores assimilarem o ocorrido.

"Desejaríamos ter mais tempo para assimilar o que aconteceu ontem, mas alguém na Suíça (sede da UEFA) decidiu que temos que jogar. Não é muito justo", afirmou. "Há jogadores que assimilam rapidamente o que aconteceu, e outros que se outros que se preocupam mais. É um misto muito grande de sentimentos".

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos