Ex-técnico do Dortmund, Klopp questiona remarcação de partida após ataque

Do UOL, em São Paulo

  • PATRIK STOLLARZ/AFP

    Klopp comandou o Borussia entre 2008 e 2015

    Klopp comandou o Borussia entre 2008 e 2015

O ex-técnico do Borussia Dortmund, Jurgen Klopp criticou a atitude da Uefa em remarcar a partida entre a agremiação alemã e Monaco pela Liga dos Campeões da Europa após o ataque terrorista. Segundo o atual comandante do Liverpool, o duelo teria que ser cancelo pelo trauma que os auri-negros passaram.

"Acho que todo mundo entenderia se não tivesse jogo. Tenho certeza de que se as pessoas que tomassem as decisões estivessem no ônibus atingido, eles não teriam remarcado. Só quem estava lá pôde entender o que realmente acontece", disse Klopp.

O treinador que ficou no Borussia entre 2008 e 2015 temeu pelos amigos que sofreram o atentado. Ele relembrou a época em que saia do mesmo hotel e pegava o mesmo caminho com a delegação para chegar no Westfalenstadion.

"Foi um momento muito difícil para mim, eu fiquei com muito medo pelos meus companheiros", complementou Klopp.

O atentado ocorreu na última terça-feira (11). Enquanto se encaminhava para a partida, o ônibus do Borussia Dortmund foi atingido por uma explosão. No incidente, o zagueiro Marc Bartra acabou quebrando o braço e precisou ser operado.

A partida foi reagendada para esta quarta-feira. O Monaco venceu o confronto válido pelas quartas de final da Liga dos Campeões por 3 a 2.

UOL Cursos Online

Todos os cursos