Real chega à semifinal da Liga dos Campeões com cinco questões a resolver

Bruno Doro

Do UOL, em São Paulo

  • AFP

Você não queria ser Zinedine Zidane nesta semana. Primeiro, existe o desafio mais óbvio: seu Real Madrid recebe nesta terça-feira, às 15h45, o Atlético de Madri na abertura das semifinais da Liga dos Campeões. A cabeça careca do treinador, porém, deve estar lotada de fórmulas e ideias para resolver todos os problemas que apareceram nas últimas semanas e que ele ainda não conseguiu resolver. São cinco as questões principais.

Quem vai ser o titular da zaga?

Sergio Perez/Reuters

O primeiro problema é a zaga. E é delicado. Se nas laterais o Real tem, provavelmente, os dois melhores do mundo em Carvajal e Marcelo, o miolo de zaga é um problema enorme para Zidane. A única certeza do treinador é Sérgio Ramos, o mesmo que foi expulso contra o Barcelona na primeira "final" do Campeonato Espanhol – que sua equipe perdeu.

Nas últimas semanas, o titular vem sendo Nacho, um defensor polivalente, que joga na zaga e na lateral, vindo das categorias de base. Ele foi acionado após as lesões de Varane e Pepe. Não comprometeu, mas os torcedores ainda não mostram confiança em seu futebol para os jogos mais importantes. Varane, recuperado de uma contratura muscular, está disponível. Mas na última vez em que isso aconteceu, ele só durou 11 minutos em campo e piorou a lesão. O francês, porém, é a aposta da imprensa europeia para o confronto.

Casemiro vai durar o jogo inteiro?

Reuters / Michael Dalder

Também na defesa, o modo como o brasileiro Casemiro vem jogando coloca um ponto de interrogação nos torcedores. Nas últimas duas partidas decisivas que o Real enfrentou, contra Bayern de Munique e Barcelona, levou o cartão amarelo ainda no primeiro tempo e jogou pendurado nas duas etapas finais. Muita gente pediu a expulsão do volante nas duas partidas, mas ele seguiu em campo.

Contra o Atlético de Madri, um time que baseia seu jogo nos passes de seu trio de meio-campistas, formado por Koke, Saúl e Gabi, a força de marcação do brasileiro será muito testada. Será que Casemiro, com quase o dobro de faltas cometidas em jogos da Liga dos Campeões em relação a sua média do Campeonato Espanhol, vai conseguir se controlar?

Quem vai substituir Bale?

Gerard Julien/AFP

O galês, contratação mais cara da história do Real Madrid, não vai jogar novamente. E Zidane se negou a dizer quem vai entrar em campo em sua vaga. Não pela falta de opções, mas por contar com três bons jogadores para mandar a campo. Cada apresentando uma alternativa de jogo diferente.

O favorito é Isco, três gols e uma assistência nas últimas três vezes em que apareceu entre os titulares. Com ele, Zidane ganha posse de bola no meio-campo e um jogador que consegue fazer os outros brilharem com seus passes precisos. James Rodriguez traz os mesmos predicados, com mais dribles, mas menos velocidade.

A terceira opção é Asensio, um jogador muito mais vertical que os dois: enquanto James e Isco são mais armadores, a revelação espanhola é mais ponta, com um estilo muito mais próximo de Bale.

A crise de Benzema

Susana Vera/Reuters

Ter um jogador de lado de campo ou um armador chegando por trás é importante porque o outro problema com o qual Zidane tem de lidar é a má fase que seu centroavante, o francês Benzema, vem enfrentando. Enquanto seu reserva, Alvaro Morata, é idolatrado pela torcida merengue e já marcou 18 gols na temporada, Benzema soma 17 gols.

Mais do que isso, seu poder de decisão em grandes jogos é cada vez mais questionado. Na segunda-feira, por exemplo, o jornal As questionou se ele tem problema contra times mais fortes. "O francês já chegou a um mês em branco (marcou pela última vez em 2 de abril, contra o Alavés) e está no caminho de sua pior temporada desde que chegou ao Real, em 2009. O mais preocupante é que não apareceu em nenhuma das partidas contra os grandes: não fez gols contra Atlético, Bayern ou Barça".

Como tirar o melhor de Cristiano Ronaldo?

Pierre-Philippe Marcou/AFP

As duas últimas questões chegam, também, para piorar o último problema de Zidane: o rendimento de Cristiano Ronaldo. É verdade que foram cinco gols contra o Bayern de Munique, mas, ainda assim, ele faz sua temporada menos goleadora em sete anos, participando muito menos das ações ofensivas do Real do que no passado.

São "apenas" 32 gols na temporada, incluindo os 4 do Mundial de Clubes. A comparação com o passado é cruel, com pelo menos 50 gols marcados nos últimos sete anos. Sua última temporada abaixo da marca foi a primeira no Real Madrid, em 2009/2010, com 33 gols.

UOL Cursos Online

Todos os cursos