Cristiano Ronaldo x Buffon: Bola de Ouro 2017 está em jogo na final

João Henrique Marques

Do UOL, em Cardiff (País de Gales)

  • Fotomontagem: Filippo Monteforte/AFP e Javier Soriano/AFP

    O atacante Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, e o goleiro Buffon, da Juventus

    O atacante Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, e o goleiro Buffon, da Juventus

São apenas cinco meses completados de futebol em 2017. No entanto, tempo suficiente para julgar que o prêmio de melhor do mundo no ano está em jogo na final da Liga dos Campeões entre Juventus e Real Madrid, neste sábado (03), às 15h45 (de Brasília). Cristiano Ronaldo e Gianluigi Buffon chegam para uma disputa que parece não haver mais concorrentes.

O 2017 dos jogadores até aqui está marcado positivamente por títulos e ótimas atuações em duelos decisivos. O Bola de Ouro da Fifa foi dado ao vencedor da Liga dos Campeões do mesmo ano em sete das dez últimas edições (Cristiano Ronaldo, três vezes, Messi, três vezes e Kaká, uma vez).

"O Bola de Ouro é algo secundário em minha cabeça. Agora, se existe uma disputa com Cristiano Ronaldo, Messi, é algo óbvio que me enche de orgulho", disse Buffon na véspera da final.

Buffon

O goleiro da Juventus está credenciado ao posto muito pelo sucesso do time ser coletivo. Cuadrado, Daniel Alves, Mandzukic, Dybala, Higuaín, ou outro qualquer. Ninguém parece pleitear um posto de ídolo e peça-chave do time como Buffon.

Na Liga dos Campeões, a defesa que fica para a história é um leve toque com a mão esquerda em finalização de Iniesta na partida de ida das quartas de final diante do Barcelona, em Turim. O time da casa vencia o jogo por 2 a 0 e o lance foi comemorado por Buffon, time e torcida como um gol.

Na competição continental, Buffon foi vazado apenas três vezes em 11 partidas. Já na conquista do Campeonato Italiano são 22 gols sofridos em 30 jogos. O goleiro não participou do título da Copa Itália – o brasileiro Neto foi quem jogou os 10 jogos como titular.

Aos 39 anos, o Bola de Ouro de Buffon também tem conotação de prêmio pela brilhante carreira. Na história, o único goleiro ganhador é o russo Oleg Blojin, do Dínamo de Kiev, à época da União Soviética.

Cristiano Ronaldo

O atacante português tem a espantosa marca de oitos gols entre as partidas de quartas de final, contra o Bayern de Munique, e semifinal, diante do Atlético de Madri. No total da Liga dos Campeões são 10. O artilheiro é Lionel Messi, com 11.

Neste ano, Cristiano Ronaldo dosou minutos preservando-se para a reta final e foi consolidado como centroavante. A nova opção tática o deixa até mesmo atuando à frente do camisa 9, Karim Benzema.

Partidas brilhantes foram poucas, mas como discutir diante do sucesso não só no mata-mata da Liga dos Campeões como no título do Campeonato Espanhol – três gols nos dois últimos jogos.

O português ainda tem a vantagem de poder participar da Copa das Confederações pouco depois da final. O título da Liga e um sucesso com Portugal na competição prévia da Copa do Mundo deixaria o quinto prêmio do Bola de Ouro como garantido.

"Não temos dúvida do poder de decisão dele. Com certeza é algo diferencial para ele na disputa do Bola de Ouro. Agora mesmo já é possível prever", destacou o treinador do Real Madrid, Zinedine Zidane.

UOL Cursos Online

Todos os cursos