Liga dos Campeões 2016/17

Real domina, goleia Juve e cria hegemonia inédita na Liga dos Campeões

Do UOL, em São Paulo

O Real Madrid não se importa em quebrar recordes e fazer história. A equipe espanhola conquistou ao vencer por 4 a 1 a Juventus, neste sábado (3), no País de Gales, seu 12º título da Liga dos Campeões, com direito a dois gols de Cristiano Ronaldo, um de Casemiro e outro de Asensio. Mandzukic descontou com o golaço do jogo. 

Desde que o campeonato europeu foi ampliado e adotou o atual formato, no começo da década de 1990, nenhuma equipe venceu por dois anos seguidos. Nem o Barcelona de Romário, nem Real dos Galácticos, nem o Barcelona de Messi. Com Cristiano Ronaldo e companhia, e três títulos em quatro temporadas, o time atual cria uma hegemonia inédita na Europa. O português, inclusive, foi eleito o melhor atleta da partida. 

Antes de 1992, quando a competição passou a ser chamada pelo nome atual, a disputa era restrita aos campeões de cada país. Com menos participantes, permitiu hegemonias em diferentes momentos da história com times como Real Madrid, Liverpool, Bayern de Munique e Ajax. A partir da mudança, com um futebol europeu mais forte e os primeiros colocados de cada liga nacional, ninguém mais conseguiu se impor dessa forma.

O jogo teve dois tempos bem distintos. O jogo começou com a Juventus pressionando, mas com o Real Madrid mais efetivo, especialmente porque a bola caiu nos pés de Cristiano Ronaldo. O português fez tabela com Carvajal e chutou da entrada da área para vencer Buffon. A euforia não durou nem dez minutos, e os italianos empataram com um golaço de Mandzukic, que acertou um voleio após dominar a bola no peito no início da grande área

Todo o equilíbrio acabou no segundo tempo, quando o Real Madrid dominou todas as ações, fez mais três gols, um com Cristiano Ronaldo, outro com Casemiro e o que transformou em goleada com Asensio. Foi só esperar o apito final para poder comemorar mais uma conquista. 

Juventus começa apertando, mas CR7 decide

A Juventus começou o jogo pressionando o Real Madrid e criou as duas primeiras boas chances de gol do jogo, ambas com chutes de fora da área. Higuain e Pjanic, no entanto, pararam em Navas.

Quando a bola foi para o outro lado, Cristiano Ronaldo não precisou de uma segunda chance. O português tabelou com Carvajal e chutou da entrada da área para abrir o placar. Esse foi o gol de número 599 da carreira dele. O atleta ainda se tornou o primeiro a marcar em três finais da Liga dos Campeões. E ainda tem mais...

Empate veio com golaço

O Real Madrid não pôde celebrar a vantagem no placar por muito tempo. Higuaín lançou para Manduzkic, que, da entrada da grande área, dominou do peito e acertou uma "meia-bicicleta" ou um voleio, como você preferir. O certo é que foi um golaço.

Mais um desvio engana Buffon

O Real Madrid começou a melhorar no jogo, dominava mais a bola, mas falhava na hora de completar os inúmeros cruzamentos e errava nos chutes de longe. Até que mais um desvio atrapalhasse a vida de Buffon. Casemiro aproveitou rebote e emendou chute de primeira de fora da área. A bola desviou em Khedira e morreu no fundo das redes do goleiro italiano. 

O gol 600 da carreira chegou

Quando ainda comemorava o gol de Casemiro, o Real Madrid ampliou a vantagem, com Cristiano Ronaldo. O camisa 7 se adiantou aos zagueiros e completou cruzamento de Modric da direita para completar para o gol, mais uma vez sem chances para Buffon. Foi o gol 600 da carreira dele. 

Juve vai para cima, mas expulsão acaba com sonho

Com 3 a 1 contra no placar, a Juventus só tinha uma chance de reverter o jogo: indo para cima. Cuadrado entrou no lugar de Barzagli e mudou a formação da equipe italiana. Mas não adiantou muito. A melhor chance acabou sendo de Alex Sandro, que cabeceou após cruzamento de Daniel Alves e viu a bola raspar a trave.

O cenário ainda piorou com Cuadrado sendo expulso por dar um leve empurrão em Sérgio Ramos, que se atirou no gramado e conseguiu o vermelho para o colombiano. Marcelo fez ótima jogada pela linha de fundo e cruzou para Asensio desviar e transformar a vitória em goleada. 

Tite assiste confronto de selecionáveis

Como de costume, o técnico da seleção brasileira, Tite, esteve no estádio para ver a final diretamente do estádio. Das tribunas, ele acompanhou um duelo quase que individual entre Daniel Alves e Marcelo, seus laterais. Outro observado de perto foi Casemiro. Além deles, ele também pôde ver Alex Sandro, que foi chamado para os próximos dois amistosos do time nacional, na Austrália.

James Rodriguez fica fora até do banco

O meia colombiano James Rodríguez não sentou nem no banco de reservas da final. Ele acompanhou ao jogo das arquibancadas do estádio no País de Gales. Entre os titulares, a grande dúvida de Zidane era se escalaria Isco ou Bale. Ele preferiu o primeiro e frustou o "dono da casa" que pretendia atuar na final no seu país de origem desde o início. Ele teve a chance de atuar por 10 minutos. 

FICHA TÉCNICA
JUVENTUS 1 X 4 REAL MADRID


Data: 03 de junho de 2017, sábado
Horário: 15h45 (de Brasília)
Local: Milennium Stadium, em Cardiff, País de Gales
Árbitro: Felix Brych (Alemanha)
Assistentes: Mark Borsch e Stefan Lupp (ambos da Alemanha)
Cartões amarelos: Carvajal, Sérgio Ramos e Kroos (REA); Dybala, Cuadrado e Alex Sandro (JUV)
Cartão vermelho: Cuadrado (JUV)
Gols: Cristiano Ronaldo, aos 19 minutos do 1º tempo e aos 19 minutos do 2º tempo; Mandzukic, aos 26 minutos do 1º tempo; Casemiro, aos 15 minutos do 2º tempo; Asensio, aos 45 minutos do 2º tempo

JUVENTUS: Buffon; Barzagli (Cuadrado), Bonucci e Chiellini; Daniel Alves, Khedira, Pjanic (Marchísio) e Alex Sandro; Higuain, Dybala (Lemina) e Mandzukic
Técnico: Massimiliano Allegri

REAL MADRID: Navas; Carvajal, Varane, Sergio Ramos e Marcelo; Casemiro, Kroos (Asensio) e Modric; Isco, Cristiano Ronaldo e Benzema (Bale)
Técnico: Zinedine Zidane
 

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos