Decisivo na hora certa, C. Ronaldo participou menos que Navas na final

João Henrique Marques

Do UOL, em Cardiff, País de Gales

O Real Madrid gira a bola no meio-campo. Isco, Modric, Casemiro e Kross, de pé em pé. O lance ofensivo não tem a participação da grande estrela, Cristiano Ronaldo. Algo normal. Consolidado como centroavante nesta temporada, o astro português se acostumou a ter menos a bola, sem deixar de se destacar por isso. No momento máximo da sua temporada dourada, conseguiu ser decisivo no 4 a 1 sobre a Juventus participando menos do que o goleiro Keylor Navas na final da Liga dos Campeões.

Os números impressionam. Cristiano Ronaldo foi o jogador do Real Madrid com menor participação na final, dando apenas 19 passes. Navas completou 21 passes, e Benzema 22 – o atacante francês foi substituído aos 33 minutos do segundo tempo. Kross, em contrapartida, foi o que mais participou, com 75 passes.

Os dados refletem bem o que é o novo posicionamento de Cristiano Ronaldo. Nem a saída pela ponta esquerda do ataque é utilizada como em jogos passados. O português agora passa toda a partida entre os zagueiros.

Contra a Juventus, o centroavante de origem Benzema tinha maior mobilidade que o português, caindo pelo lado esquerdo do ataque. O francês terminou a partida sem nenhuma finalização. Já Cristiano Ronaldo deu quatro chutes, tendo marcado dois gols.

A presença de Cristiano Ronaldo como centroavante tornou-se possível com a implementação do esquema 4-4-2 do Real Madrid. Quando Bale tinha a vaga de Isco no 4-3-3, o português tinha a função de atuar aberto pela ponta esquerda.

No esquema 4-3-3, o Real Madrid fez oito jogos na Liga dos Campeões, e Cristiano Ronaldo marcou quatro gols. Já com o 4-4-2 foram cinco jogos, com oito gols do "centroavante" português.

"Não me sinto centroavante, nunca serei. Marquei quase 600 gols na posição em que jogo (na ponta esquerda) e não vejo razão para mudar. É que depende da tática do treinador. Gosto de jogar mais livre quando a aposta é num 4-4-2", definiu Cristiano Ronaldo antes da final.

"Sim que tem jogado mais como "9". É algo dele, da natureza. Cristiano Ronaldo faz gols. Ele faz a diferença", finalizou o treinador do Real Madrid, Zinedine Zidane.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos