Abraços de Neymar e Cavani convenceram a imprensa europeia?

Do UOL, em São Paulo

  • Benoit Tessier/Reuters

 A crise que a disputa pela cobrança de pênaltis no PSG entre Neymar e Cavani criou situações inusitadas. Nesta quarta-feira, por exemplo, durante a impressionante vitória por 3 a 0 do clube francês sobre o Bayern de Munique (com um gol para cada lado – Daniel Alves completou o placar), até a sinceridade dos abraços entre os dois foi analisada.

Quando Mbappé rolou para Cavani e o uruguaio acertou um pelo chute para fazer o segundo do PSG, Neymar esperou todos cumprimentarem o camisa 9 para abraça-lo. A imprensa espanhola, ainda magoada com a saída do Barcelona, ressaltou o fato que ele foi o último a abraçar o companheiro. Segundo o jornal Sport, justamente da Catalunha, foi um gesto comedido.

O terceiro gol, novamente com jogada de Mbappé, foi de Neymar. Dessa vez, porém, Cavani não economizou: abraçou o brasileiro com força, para mostrar sintonia. "Agora sim foi um abraço efusivo", escreveu o Sport em seu acompanhamento ao vivo.

Na França, o relato do jogo da France Football e do L'Equipe também ressaltou a tentativa dos dois de mostrarem união. "Neymar esperou todos os seus companheiros cumprimentarem o uruguaio para abraçá-lo. El Matador também fez questão de consolar o brasileiro quando ele perdeu um gol no segundo tempo", escreveu a France Football. "Acima de tudo, os dois fizeram de tudo para mostrar sinais de cumplicidade".

Foi mais ou menos a mesma opinião da imprensa inglesa sobre o caso. O Daily Mail, por exemplo, chamou o comportamento da dupla de "show de demonstração de carinho em público". "Neymar e Cavani se abraçaram durante o jogo em cenas que certamente vão agradar aos torcedores do PSG após a vergonhosa briga em campo", disse o jornal.

Já o Mirror destacou, como os espanhóis, que Neymar foi o último a celebrar com Cavani o gol do uruguaio. "Mesmo que Neymar não tenha imediatamente comemorado com seus companheiros o gol – ele fez primeiro com Kylian Mbappe – ele, eventualmente, abraçou Cavani. Mas pouco depois, Neymar colocou Cavani na cara do gol e, mesmo com o gol perdido no fim das contas, a dupla se acertou com um toque de mãos. Sinal claro de que a rivalidade está superada".

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos