Torcida do Bayern reclama de preço de ingressos: 'Não somos Neymar'

Do UOL, em São Paulo

  • Benoit Tessier/Reuters

A torcida do Bayern protestou na arquibancada do Parc des Princes. O motivo era o valor do ingresso cobrado para a partida contra o PSG, quarta, pela Liga dos Campeões.

Como forma de reclamar do custo do bilhete, os torcedores alemães levaram faixa dizendo "não ser Neymar", em alusão aos 222 milhões de euros pagos pelo time francês na aquisição do atacante brasileiro.

"75 euros a entrada? Nós não somos Neymar. O preço das entradas deve ser razoável", apresentava uma das faixas estendidas pela torcida do Bayern.

Dentro de campo, o milionário PSG não deu chances ao Bayern: 3 a 0. Os gols foram feitos por Dani Alves, Cavani e Neymar.

No entanto, Neymar e Cavani não tiveram que se decidir sobre quem cobraria alguma penalidade, já que a cena que iniciou a queda de braço entre os dois não voltou a se repetir nesta quarta. O time francês segue líder e 100% na primeira fase da competição, com três pontos de vantagem sobre o próprio Bayern. Na outra partida da chave, o Celtic também venceu o Anderlecht por 3 a 0 fora de casa e avançou para o terceiro lugar.

Neymar x Cavani

Thibault Camus/AP

Se fôssemos avaliar a situação apenas com base nesse jogo, nós poderíamos dizer que não há qualquer problema entre os dois. É verdade que Neymar esperava receber a bola de Mbappé aos 30, quando o francês fez boa jogada pela direita, mas a bomba de Cavani no ângulo esquerdo de Ulreich não deixou dúvida sobre a capacidade do uruguaio, que marcou em seis de suas últimas partidas na Champions. Golaço!

A comemoração gerava tanta ansiedade quanto o próprio gol: será que os dois vão se cumprimentar? Eles demoraram um pouco e fizeram todo mundo pensar que não haveria um abraço, mas ele finalmente aconteceu. Discreto e rápido, mas cheio de significado. Pouco depois, Cavani ainda consolou Neymar por uma chance perdida.

Charles Platiau/Reuters

O trio de craques se soltou ainda mais depois do gol: aos 38 do primeiro tempo, por exemplo, Mbappé desceu em velocidade pela direita e encontrou Neymar dentro da área; o brasileiro poderia ter dominado para chutar, mas escolheu tocar de letra para Cavani, que vinha de trás e chutou em cima do goleiro Ulreich.

Quando um lance parecido ocorreu aos 17 do segundo, entretanto, Neymar não vacilou. Mbappé fez linda jogada pela direita, driblou todo mundo que encontrou pelo caminho e cruzou rasteiro para a pequena área, provavelmente em busca de Cavani. A zaga fez um corte simples, sem afastar de vez, e acabou entregando a bola de presente para o brasileiro, que fuzilou a rede.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos