Golaço de Neymar e show de Kurzawa levam PSG às oitavas da Champions

Do UOL, em São Paulo

  • Benoit Tessier/Reuters

O alto investimento continua valendo a pena: o PSG está nas oitavas da Liga dos Campeões. Nesta terça-feira (31), o time francês goleou o Anderlecht por 5 a 0 em casa, no Parc des Princes, e confirmou sua vaga na próxima fase da competição. A partida contou com golaços de Neymar e Verratti, e três de Kurzawa, que deu show e pediu silêncio à imprensa francesa.

Com 100% de aproveitamento, incríveis 17 gols de saldo em quatro jogos e nenhum sofrido, o PSG chegou à marca dos 12 pontos e já não pode mais ser alcançado pelo terceiro colocado do grupo B, o Celtic, que tem três e perdeu para o Bayern de Munique por 2 a 1 também nesta terça, no mesmo horário. O clube alemão também já está classificado, enquanto o Anderlecht segue sem pontuar.

Neymar est magique

Franck Fife/AFP

O famoso mantra "Paris est magique" ("Paris é mágica") parece ser entoado com ainda mais animação pela torcida do PSG quando Neymar está em campo. Nesta terça, contra o Anderlecht, ele foi decisivo no retorno ao time depois de cumprir suspensão contra o Nice, pelo Campeonato Francês.

E que retorno! A volta foi coroada aos 49 minutos do primeiro tempo, após cobrança de escanteio curto pela esquerda. Contando com certa complacência da marcação, Neymar foi carregando a bola na entrada da área e decidiu soltar a bomba. Um gol com a assinatura de quem tem liberdade para transitar pelo gramado como bem entende.

Antes disso, ele quase havia comemorado em tempo recorde: no primeiro minuto do jogo, o brasileiro recebeu um bolão de Mbappé, que o tratou como "irmão mais velho" na semana, e tentou a finalização. O goleiro adversário fez a defesa no susto, como quem não acredita que já está passando sufoco.

Silêncio, silêncio, silêncio

Franck Fife/AFP

Kurzawa lavou a alma e não vai se esquecer desta noite tão cedo. No início do segundo tempo, Neymar cobrou falta do jeitinho que vem dando certo em sua carreira. Desta vez, a bola só não entrou por capricho e bateu na trave, mas o francês se deu bem: pegou o rebote, marcou o terceiro do PSG e ainda fez sinal de silêncio na comemoração, em resposta às críticas da imprensa francesa.

Seu segundo gol também foi um lance de puro oportunismo, mas isso mostra o bom posicionamento do lateral-esquerdo durante o jogo. Quando Dani Alves cruzou para a área aos 26 do segundo tempo, nem ele devia esperar encontrar Kurzawa, que cabeceou para ampliar. Pouco depois, aos 33, fechou a conta após nova jogada do brasileiro, que é seu colega de posição pelo outro lado do campo. Em todas as oportunidades, fez gestos para que seus críticos se calassem.

Verratti faz parecer fácil

Franck Fife/AFP

A troca de passes do primeiro gol não ficou devendo em nada ao tiki-taka de Xavi e Iniesta. Depois de tabelar com Neymar, Mbappé mostrou grande visão de jogo ao acionar Verratti pela esquerda. O elogiado italiano, que está constantemente na mira de outros clubes da Europa, como o Barcelona, ainda parou para cortar a marcação antes de concluir. Parecia uma firula desnecessária à primeira vista, mas foi o que lhe deu liberdade para bater como quis. Golaço.

Mbappé se garante

Franck Fife/AFP

A imprensa francesa especulou, ao longo da última semana, que Mbappé poderia ficar no banco para a entrada de Di María na equipe de Unai Emery. No entanto, o jovem atacante francês, segundo jogador mais caro da história, foi titular e importante para o time parisiense. Se o que falta ao menino é experiência, isso Neymar, Cavani e Verratti já têm de sobra.

E foi com passes para os colegas que ele mais se destacou nesta noite, embora o brasileiro tenha desperdiçado uma grande chance de marcar após bela jogada de Mbappé, aos 44 do primeiro tempo. Quando a situação se inverteu, Neymar tocou de calcanhar e o francês chutou para a defesa do goleiro.

Cavani fez o quê?

Franck Fife/AFP

Pouca coisa. Em determinados momentos, até atrapalhou. Aos nove da etapa inicial, por exemplo, Cavani ficou parado na área e não abriu espaço para o chute de Neymar, de modo que a bola bateu nas pernas do uruguaio e não ameaçou o gol do Anderlecht.

Ainda no primeiro tempo, aos 35, Cavani até foi inteligente ao perceber o recuo mal feito para o goleiro Boeckx e roubar a bola. Mas o uruguaio falhou na visão de jogo e não conseguiu servir Neymar, que vinha livre para receber o passe. Para piorar, estava em posição irregular no terceiro gol, feito por Kurzawa, e quase levou a arbitragem a anular o lance.

FICHA TÉCNICA
PSG 5 X 0 ANDERLECHT

Data e hora: 31 de outubro, terça-feira, às 17h45 (de Brasília)
Local: Parc des Princes, em Paris (França)
Árbitro: David Fernández Borbalán (Espanha)
Auxiliares: Raúl Cabanero e Diego Barbero Sevilla (ambos da Espanha)
Gols: Verratti, aos 29 minutos, Neymar, aos 49 do primeiro tempo, e Kurzawa, aos 7, 26 e 33 do segundo (PSG)

PSG: Areola; Dani Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Kurzawa; Verratti (Lo Celso), Rabiot (Pastore) e Draxler; Mbappé (Di María), Cavani e Neymar
Técnico: Unai Emery

ANDERLECHT: Boeckx; Appiah, Mbodji, Spajic (Josué Sá) e Obradovic; Dendoncker, Kums, Trebel, Gerkens e Hanni (Teodorczyk); Onyekuru (Stanciu)
Técnico: Hein Vanhaezebrouck

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos