UOL Esporte Campeonato Mineiro
 
11/03/2010 - 11h13

Atlético-MG tenta evitar que dependência de Tardelli se repita em 2010

Gustavo Andrade
Em Vespasiano (MG)

Depois de passar pelo primeiro teste sem Diego Tardelli nesta temporada, na vitória sobre o Democrata-GV por 1 a 0, no Mineirão, o Atlético-MG tentará mostrar que a dependência do atacante realmente é um traço da equipe de 2009 que não se repetirá. No sábado, o time alvinegro fará a segunda partida sem o camisa 9, contra a Caldense, às 17h (horário de Brasília), também no estádio da Pampulha, pela 9ª rodada do Campeonato Mineiro.

Na última temporada, Diego Tardelli desfalcou o Atlético em sete jogos. A equipe conseguiu vencer apenas uma vez. Sem seu principal goleador, o time alvinegro marcou oito gols – média de 1,14 gol por partida contra 1,78 nos demais jogos.

O triunfo único sem o artilheiro foi justamente na primeira ausência. Por cumprir suspensão, Tardelli não foi a campo diante do Ituiutaba, na última rodada da primeira fase do Estadual. A equipe então comandada por Emerson Leão venceu por 2 a 1 com um gol aos 49min do segundo tempo.

Em duas oportunidades no Brasileirão, o atacante desfalcou o Atlético por ter de cumprir suspensão automática. Contra o Vitória, em Salvador, a equipe alvinegra não conseguiu marcar gols e arrancou empate em 0 a 0. Já diante do Avaí, no Mineirão, a igualdade foi em 2 a 2.

As outras vezes em que Diego Tardelli não pôde defender o Atlético no Brasileirão ocorreram em função de convocações para a seleção brasileira. Chamado para amistoso contra a Estônia, o atacante viu a equipe alvinegra empatar em casa com o Palmeiras em 1 a 1.

Posteriormente, ele foi chamado para as duas últimas rodadas das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo. Na sua ausência, o Atlético foi derrotado por Botafogo e Cruzeiro, por 3 a 1 e 1 a 0, respectivamente. A partida contra a equipe carioca ocorreu no Engenhão.

Tardelli não jogou outros dois jogos contra o Goiás, válidos pela Copa Sul-Americana. Por decisão da diretoria, em acordo com o então técnico Celso Roth, a equipe contou com reservas na competição. Os dois jogos do confronto pela primeira fase terminaram empatados em 1 a 1 e o time goiano classificou-se ao vencer a disputa por pênaltis.

Ausência percebida

Artilheiro de três das quatro competições que disputou em 2009, Diego Tardelli reconhece sua importância para a equipe e espera voltar a campo rapidamente.

“Escuto muitas notícias boas a meu respeito, o tanto que faço falta. É por isso que quero voltar logo. Sei o quanto sou importante para o time neste momento. Espero que a gente possa encontrar outros jogadores com a minha característica, para não depender só de mim. O Muriqui tem a função parecida e está se dando bem”, afirmou.

ATLÉTICO-MG NO TWITTER

O atacante sofreu estiramento na coxa esquerda diante do América-TO na semana passada. Segundo o médico Rodrigo Lasmar, Tardelli não terá condições para atuar no dia 17, no primeiro jogo da segunda fase da Copa do Brasil. O camisa 9 pode ganhar condições de jogo contra o Villa Nova, no domingo 21, pelo Estadual.

Para o volante Fabiano, no período em que Tardelli estiver ausente, o Atlético terá de aprender a atuar com novo esquema tático. Sem o atacante, Vanderlei Luxemburgo já abdicou do esquema 4-3-3 e escolheu o meia Renan Oliveira como seu substituto.

“Sabemos da qualidade e do valor que ele tem. É um grande jogador, provou isso no ano passado, com o número de gols, pela importância que ele tem no time, o carinho que a torcida tem por ele. Na ausência dele, a gente busca uma nova formação, até mesmo com Muriqui e Obina à frente. Ele tem um peso muito grande na nossa equipe e torcemos para que volte o mais rápido possível”, salientou Fabinho.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host