UOL Esporte Campeonato Mineiro
 
08/04/2010 - 19h41

Diretoria do América-MG mantém críticas e Comissão defende arbitragem

Do UOL Esporte
Em Belo Horizonte

O presidente da Comissão de Arbitragem da Federação Mineira de Futebol (FMF), Jurandy Gama Filho, considerou bom o trabalho de Renato Cardoso Conceição, no empate entre Atlético-MG e América-MG, em 2 a 2, na quarta-feira, no Ipatingão. O resultado classificou o time atleticano e a diretoria americana responsabilizou a arbitragem por sua eliminação.

O AMÉRICA-MG NO TWITTER

Para Jurandy, Renato Cardoso Conceição não influenciou no resultado, que acarretou na desclassificação do América. “Vi o jogo e o árbitro na partida de ontem não cometeu nenhum erro que pudesse influenciar no resultado da partida como foi falado”, disse o presidente da comissão, em entrevista à Rádio Globo Minas.

O técnico do time americano Mauro Fernandes e o presidente do clube, Marcos Salum, reclamaram da expulsão do zagueiro Preto, que recebeu o segundo cartão amarelo ainda no primeiro tempo da partida. Para Jurandy, a expulsão foi correta e merecida.

“A expulsão do jogador do América foi justa, não só eu Jurandy quem acho, todos os comentaristas de arbitragem falaram hoje que os dois lances foram para amarelos e ele foi expulso corretamente. Não vi nenhum erro do árbitro, foi uma boa arbitragem”, enfatizou Jurandy Gama Filho.

Além de defender a arbitragem de Renato Cardoso Conceição, o presidente da comissão de arbitragem lamentou as declarações de Marcos Salum, integrante do Conselho de Administração do América, após a partida na quarta-feira. Segundo ele, o dirigente americano quis apontar um culpado pela eliminação do seu time do Campeonato Mineiro.

“Eu fico triste com as declarações do presidente do América. A gente comprova que o futebol leva as pessoas a este nível de declaração. Até a semana passada a gente era pessoa séria e idônea, agora a gente escuta estas coisas. Estou no futebol há muito tempo e sei que sempre quem perde tem de procurar alguma coisa para justificar e normalmente é a arbitragem e quem trabalha com ela”, disse Jurandy.

Após a partida, Marcos Salum afirmou que o América foi “assaltado” pela arbitragem. “Não retiro uma palavra que eu disse ontem, continuo afirmando que fomos assaltados ontem”, disse Marcos Salum, também em entrevista à Rádio Globo.

Em carta aberta, publicada no site oficial do clube, a diretoria do América manifestou “toda sua indignação ao sistema viciado do Departamento de Árbitros da Federação Mineira de Futebol, que, mais uma vez, beneficiou o Atlético nestas quartas de final do Campeonato Mineiro”.

No texto, a diretoria americana diz que não foi surpreendida. Vínhamos alertando há algum tempo que a arbitragem mineira não estava preparada para apitar esses clássicos decisivos. Fomos várias vezes à Federação e demonstramos a diferença de critérios na arbitragem quando se tratava de jogos de Atlético e Cruzeiro. Esse foi, inclusive, o grande motivador para que pedíssemos árbitros de fora de Estado”, salientou.

“Nossa diretoria estranhou muito a escalação de Renato Cardoso Conceição para o segundo jogo das quartas de final, depois do episódio envolvendo este árbitro no jogo entre Atlético e Cruzeiro, quando ele foi desqualificado pelos atleticanos e até ameaçado de morte por torcedores. Com certeza, ele já estava pressionado para trabalhar nos jogos do Atlético, sem a mínima condição de atuar com tranquilidade. Não houve, portanto, qualquer coerência por parte do Departamento de Árbitro nessa escalação”, disse.
 

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host