UOL Esporte Campeonato Mineiro
 
11/04/2010 - 07h01

Semifinal opõe ex-parceiros Ipatinga e Cruzeiro, que decidiram 2 títulos

Gustavo Andrade
Em Belo Horizonte

Antigamente batizados de “matriz” e “filial”, por causa da parceria que mantiveram entre 2005 e 2006, Cruzeiro e Ipatinga voltam a se enfrentar na fase final do Campeonato Mineiro após quatro anos. As duas equipes iniciam neste domingo, às 16h (horário de Brasília), no Ipatingão, o confronto em busca de uma vaga na final do Estadual. Por ter feito melhor campanha na fase inicial, a equipe celeste jogará por dois resultados iguais.

Primeiro colocado na etapa de classificação da competição, com 24 pontos, três a mais que o Ipatinga, que ficou em quinto lugar, o Cruzeiro se garante em mais uma decisão do título mineiro com dois empates ou vitória e derrota pelo mesmo saldo de gols. A segunda partida acontecerá no Mineirão, no próximo domingo, 18, às 16h.

Remanescente do último confronto decisivo entre Cruzeiro e Ipatinga no Estadual de 2006, o lateral-direito Jonathan avalia que a parceria trouxe rivalidade entre os dois clubes. “Sempre vai existir a rivalidade. Naquele convênio que o Cruzeiro teve com o Ipatinga, a derrota em 2005 ficou marcada negativamente. A maioria dos jogadores do Ipatinga era do Cruzeiro. Então tenho certeza que a rivalidade ficou”, afirmou.

A parceria com o Cruzeiro levou bons frutos ao Ipatinga. A ascensão da equipe do Vale do Aço resultou na conquista do Estadual, em 2005, justamente em cima da “matriz”. Em 2006, o time chegou novamente à final, mas ficou com o vice-campeonato, perdendo para o time celeste. Nesse mesmo ano, anunciou oficialmente o fim da parceria, embora tenha mantido negócios com o Cruzeiro.

A boa convivência entre as duas diretorias também persiste e o Ipatinga conta sempre com jogadores cedidos pelo Cruzeiro, casos de Reyna e Joabe, por exemplo, ou que já atuaram pela equipe celeste, como Luizinho e Francismar. Este ano, ao contrário do que aconteceu em 2005 e 2006, quando fizeram a final, os dois ex-parceiros, mas sempre clubes amigos, deixará um deles para trás.

Em 2005, o Cruzeiro iniciou o confronto da final do Campeonato Mineiro a vantagem de jogar por dois resultados iguais por ter feito melhor campanha na primeira fase. O Ipatinga foi o segundo colocado e decidiu o título em Belo Horizonte. Após empatar em 1 a 1, no Ipatingão, o time do Vale do Aço venceu a equipe celeste por 2 a 1, em pleno Mineirão.

Já em 2006, a história se inverteu. O Ipatinga terminou a fase classificatória em primeiro lugar e conquistou a vantagem de jogar por dois resultados iguais, além de decidir em casa, enquanto o Cruzeiro chegou em segundo lugar. Na primeira partida, no Mineirão, as equipes empataram em 1 a 1. Na decisão, no Ipatingão, o Cruzeiro venceu por 1 a 0 e foi campeão.

Após dois anos disputando a final do Campeonato Mineiro, o Ipatinga não foi bem em 2007 e encerrou a primeira fase apenas na sétima colocação. Assim, a equipe do Vale do Aço não avançou às semifinais. Já em 2008, ano que disputou a Série A do Campeonato Brasileiro, o Ipatinga foi o penúltimo da fase inicial do Mineiro e acabou rebaixado ao Módulo II. No ano passado, a equipe do Vale do Aço conquistou a segunda divisão estadual e retornou à elite nesta temporada.

Tranquilidade x incertezas

Disposto a ampliar sua vantagem, se for possível, o Cruzeiro, que tem jogo importante contra o Colo-Colo, na próxima quinta-feira, no Chile, está levando seus titulares para Ipatinga. Adilson Batista relacionou 21 jogadores, incluindo os principais atletas. Ele cortará três momentos antes do início da partida. “A gente vai para tentar vencer, se vai ser um placar elástico ou não é outra história. A gente vai tentar ampliar a vantagem, se for possível” afirmou o atacante Kléber.

Adilson Batista, que não antecipa as escalações, pode repetir a formação que venceu o Uberaba, por 3 a 0, na quarta-feira passada, no Uberabão, em jogo que confirmou sua classificação à etapa semifinal. Se isso acontecer, Marquinhos Paraná pode seguir improvisado na lateral esquerda, e o meio-campo atuar com os volantes Fabinho, Fabrício e Henrique, além de Gilberto.

Pelo lado do Ipatinga, o técnico Gilson Kleina tem muitos problemas para escalar o time. O zagueiro Max, que recebeu o terceira cartão amarelo no empate contra o Tupi, em 1 a 1, na última quinta-feira, que garantiu sua vaga à fase semifinal, terá de cumprir suspensão. O volante Jaílton sofreu lesão nos ligamentos do joelho esquerdo e será operado. Além dos desfalques certos, Thiago Mathias e Amílton, que também se contundiram em Juiz de Fora, também não devem jogar.

Reserva da zaga,  Patrick está voltando de contusão. Se não puder jogar,  o treinador terá de improvisar algum jogador na zaga, ao lado de Sílvio, já que não conta com outros especialistas em condições de jogo no elenco. Apesar dos problemas, Gilson Kleina quer “quebrar a vantagem” do Cruzeiro. “Nosso pensamento é de vitória no Ipatingão”, salientou o técnico, que só definirá a equipe pouco antes do começo da partida.

IPATINGA X CRUZEIRO

Data: 11/4/2010 (domingo)
Horário: 16h (Horário de Brasília)
Local: estádio Ipatingão, em Ipatinga (MG)
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira
Auxiliares: Helbert Costa Andrade e Guilherme Dias Camilo.
Transmissão: Rede Globo Minas e pay-per-view

IPATINGA
Douglas; Luizinho, Sílvio, Patrick e Marinho Donizete; Max Carrasco, Leanderson, Francismar e Reina; Alessandro e Amílton (Danilo Dias)
Técnico: Gilson Kleina

CRUZEIRO
Fábio; Jonathan, Leonardo Silva, Gil e Marquinhos Paraná; Fabrício, Fabinho, Henrique e Gilberto; Thiago Ribeiro e Kléber
Técnico: Adilson Batista
 

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host