Deivid justifica ida de Dedé para o banco e oscilação da defesa do Cruzeiro

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

    Zagueiro Dedé foi titular do Cruzeiro contra a URT, no Mineirão

    Zagueiro Dedé foi titular do Cruzeiro contra a URT, no Mineirão

No triunfo sobre o Tombense por 2 a 1, o Cruzeiro fez alterações em seu sistema defensivo em relação à partida de estreia do Campeonato Mineiro, quando apenas empatou com a URT, por 0 a 0, no Mineirão. A troca de Dedé por Bruno Rodrigo já estava prevista pelo técnico Deivid, que não mostrou-se incomodado com a oscilação apresentada no setor.

"A saída do Dedé está dentro da programação. Se você pegar, o Dedé ficou um ano inteiro sem jogar. É arriscado usá-lo por dois jogos seguidos. Ele tem que aperfeiçoar as partes física e técnica dentro da competição. Então, ele tem que melhorar aqui", afirmou Deivid, citando a lesão no joelho direito que deixou o defensor afastado dos gramados na temporada passada

Com a zaga formada por Bruno Rodrigo e Manoel, o Cruzeiro sofreu o primeiro gol na competição. E o time correu o risco de deixar o estádio Soares Azevedo, em Muriaé, com um resultado negativo. O treinador explica a situação.

"Este tipo de oscilação (na defesa) é normal. O Cruzeiro vai sempre propor o jogo. Quando você propõe o jogo, você dá espaço para o adversário jogar. Quando você dá espaço, tem o perigo de você tomar gol. Com todo respeito ao Tombense e à URT, mas são clubes inferiores. Então o Cruzeiro vai propor o jogo. Por isso, é natural", concluiu o comandante.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos