Há um ano sem fazer gol, meia do Atlético-MG ganha a confiança de Aguirre

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Bruno Cantini/Atlético-MG

    Meia Dodô quer retomar as boas exibições do começo de carreira com a camisa do Atlético-MG

    Meia Dodô quer retomar as boas exibições do começo de carreira com a camisa do Atlético-MG

O início de carreira do meia Dodô foi promissor no Atlético-MG. Depois de duas rápidas participações em jogos do Brasileirão de 2013, o jogador ganhou mais oportunidades e mais tempo em campo na temporada seguinte. Em 2014 foram 11 partidas e quatro gols marcados. Dodô terminou o ano em alta e começou 2015 com moral e fazendo gol, diante do Shakhatar.

Mas o que parecia ser um ano para se firmar como titular, ficou apenas na boa impressão do amistoso contra a equipe ucraniana. O quarto gol da vitória do Atlético em janeiro de 2015 foi o único que o meia marcou em toda a temporada. A moral com Levir foi caindo de acordo que foi caindo o rendimento em campo.

Cada vez menos efetivo, Dodô passou a ser menos usado nas partidas. Embora tenha participado de 28 das 64 partidas do Atlético na temporada, o meia jogou apenas duas vezes com Levir Culpi no segundo turno do Campeonato Brasileiro. Nas duas últimas partidas de 2015 a equipe esteve sob o comando de Diogo Giacomini.

Agora, com um novo técnico, esperança e motivação renovada por Dodô. "Comecei o ano bem, fazendo uma boa pré-temporada. Botei na minha cabeça que tinha que procurar meu espaço. E o bom é que nesse começo de ano estou podendo jogar na minha posição, com o Aguirre me passando bastante confiança", comentou o jogador de 21 anos, que chegou a ter um começo de carreira melhor do que o de Bernard, em número de gols marcados.

E é recuperar esse jogador que já mostrou potencial o grande objetivo do técnico Diego Aguirre. No que depender do treinador uruguaio, o camisa 23 do Atlético vai ter mais chances nas próximas partidas. "Falei para os jogadores que cada jogo é uma oportunidade. Todos estão tendo a chance de estar dentro de campo. E Dodô entrou bem contra o Uberlândia e ajudou. Ele jogou bem", analisou o técnico.

Outros fatos podem dar mais espaço para Dodô, pelo menos neste momento. Além da saída de Giovanni Augusto, Cazares ainda segue sem condição de jogo. Assim, Dátolo e Dodô são os únicos meias que atuam centralizados à disposição de Diego Aguirre. Então, até que o Atlético contrate um novo jogador para a posição, Dodô quer saber de jogar e aproveitar as oportunidades.

"Tomara que isso não vire uma novela, pois é ruim o jogador querer jogar e não estar regularizado. Mas com essa situação do Cazares o caminho está bom para mim, vou ter mais espaço para poder jogar".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos