Cruzeiro terá 10 dias para ajustar seu maior problema até agora em 2016

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Gabriel Lordello/Light Press/Cruzeiro

    Deivid terá mais de uma semana para ajustar falhas no sistema defensivo do Cruzeiro

    Deivid terá mais de uma semana para ajustar falhas no sistema defensivo do Cruzeiro

Nos três primeiros jogos oficiais do Cruzeiro no ano, o time apresentou uma nova 'cara' com o técnico Deivid. Adepto da posse de bola, movimentação e passe de qualidade, o treinador vem tentando implantar uma nova filosofia no clube, mas nem tudo está evoluindo conforme o esperado. Do meio para frente, a equipe colhe elogios. Para trás, nem tanto. Carente de ajustes, o setor defensivo é o que mais vem preocupando. Com o jogo adiantado pela segunda rodada, a equipe vai ter um intervalo de dez dias antes do seu próximo compromisso no Mineiro, contra o Tupi, dia 14, e deverá utilizá-lo para não reviver novos apertos em campo como foi diante do Tombense.

"A gente está ajustando a equipe durante a competição e é muito difícil. O Tombense começou a pré-temporada em novembro, tanto que fisicamente eles estão muito acima do Cruzeiro. O segundo tempo foi muito bom. Temos que ajustar algumas coisinhas para não sofrer tanto. A gente está encontrando o melhor esquema e o melhor posicionamento para que os jogadores se sintam mais à vontade", disse.

Até o momento, o clube entrou em campo por cinco vezes em 2016, somando jogos-treino, amistosos e partidas oficiais. Os quatro gols sofridos geram uma média menor que um tento a cada 90 minutos, mas chamaram a atenção quanto à forma com que aconteceram. No jogo-treino contra o Villa Nova, o primeiro do ano, dois gols levados de bola parada. Situação parecida com o lance que gerou o empate do Criciúma, pela Primeira Liga, juntando falha coletiva, individual e desorganização da defesa. Por último e mais recente, Paulo Otávio recebeu no meio campo e passou fácil por Mayke e Manoel antes de abrir o placar para a Tombense, na última quarta, em Muriaé. Lances como esses expõem um pouco a necessidade de melhora já detectada e comentada por Deivid, que ainda busca adaptar todo o time ao novo esquema bastante ofensivo.

"O Cruzeiro sempre vai propor sempre o jogo. Quando você faz isso, você dá espaço e tem perigo de tomar gol. Mas não posso ser um treinador do Cruzeiro e ficar jogando atrás. Com todo respeito ao time da Tombense e URT, que são clubes inferiores, mas nós vamos propor os jogos. Temos só que ter tranquilidade para ajustar a equipe e não sofrer como sofremos hoje", completou.

Na reta final do último Brasileiro, com Mano, o Cruzeiro apresentava um sistema tático não tão leve quanto o atual, mas que proporcionava maior solidez defensiva. Em 16 jogos com o treinador, o time foi vazado por 13 vezes. Apesar do número bem maior de partidas realizadas, a média de 0,81 gols sofridos por partida com o treinador foi praticamente igual aos atuais 0,8 com Deivid.

De 'folga' neste fim de semana de Carnaval, os jogadores serão liberados no sábado e domingo e só voltam aos treinos na próxima segunda-feira. O jogo contra o Tupi está marcado para às 17h do outro domingo, dia 14, no Mineirão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos