Deivid usa experiência no exterior para dar tempo de adaptação aos gringos

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Eduardo Valente/Light Press/Cruzeiro

    Deivid lembra da época de jogador para ajudar na adaptação de estrangeiros do Cruzeiro

    Deivid lembra da época de jogador para ajudar na adaptação de estrangeiros do Cruzeiro

Chegar ao Brasil e se adaptar ao futebol jogado aqui não é lá um processo tão simples e rápido. Ainda mais quando se trata de jovens estrangeiros, como os recém-contratados do Cruzeiro. Neste início de ano, metade dos reforços anunciados até o momento é argentino ou uruguaio e geram bastante expectativa na torcida desde os primeiros minutos após a oficialização. No entanto, Deivid quer utilizar sua própria experiência para promover os atletas aos poucos e pede paciência para não queimar etapas com Miño, Pisano, Gino e Romero.

Depois que deixou o Cruzeiro, no ano da Tríplice Coroa, Deivid mudou-se para o Bourdeaux, da França. De lá, voltou ao Brasil antes de sair novamente, desta vez para o Sporting, de Portugal. Em 2006, o ex-atacante foi parar na Turquia, defendendo o Fenerbahçe. Com experiência de ter morado em três países distintos e ciente das dificuldades de adaptação, o treinador quer trabalhar com o máximo de cautela para minimizar quaisquer problemas com os reforços.

"O Romero é um jogador que já estava sendo monitorado há muito tempo. É um jogador de Seleção Argentina e muito capacitado. Mas, nós temos de ter paciência, porque é um país diferente, uma outra cultura, um futebol diferente. A gente tentará deixá-lo muito à vontade, para que possa se adaptar o mais rápido possível", comentou o treinador, sobre o argentino Lucas Romero, apresentado na Toca da Raposa na última sexta-feira.

Dos quatro gringos anunciados, somente Sánchez Miño já entrou em campo. Matías Pisano foi regularizado e está disponível para a partida contra o Tupi, no domingo que vem, mas não deverá começar o jogo entre os onze iniciais, já que passará pelo mesmo processo que o companheiro. Nas três partidas oficiais até o momento, Miño entrou no segundo tempo contra a URT e foi titular diante do Tombense, no lugar de Marcos Vinícius, poupado.

"É claro que eu quero mais. O Miño é um jogador experiente, de muita qualidade. Tenho que ter calma, porque há a adaptação. Ele está se encaixando no esquema tático, mas tenho certeza que, a cada dia, ele vai se encaixar e jogar melhor", disse Deivid.

Além do tempo e paciência solicitados por Deivid, os gringos terão um suporte dos próprios companheiros para se sentirem cada vez mais em casa. No ano passado, a chegada de Ariel Cabral contribuiu para a melhor adaptação do jovem Arrascaeta. Neste ano, o uruguaio da camisa 10 é que terá a missão de ajudar o também amigo e garoto Federico Gino, companheiro desde os tempos de Defensor, do Uruguai. Em situação parecida, Lucas Romero, Sánchez Miño e Matías Pisano, todos com pouca idade, já foram recepcionados pelo compatriota argentino Ariel Cabral no elenco celeste.?

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos