Semelhanças fazem os atleticanos acreditarem em Robinho como foi com R10

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • AFP

    Ronaldinho e Robinho aturam juntos no Milan. Um já é ídolo do Atlético o outro busca o mesmo sucesso em Minas

    Ronaldinho e Robinho aturam juntos no Milan. Um já é ídolo do Atlético o outro busca o mesmo sucesso em Minas

Em junho de 2012, Ronaldinho Gaúcho era apresentado pelo Atlético-MG como reforço para o Campeonato Brasileiro. A desconfiança era grande, já que o meia vinha de um semestre ruim no Flamengo, marcado por diversos problemas extracampo. Em julho de 2014, o melhor jogador do mundo em duas oportunidades deixava a Cidade do Galo como um dos nomes mais importantes da centenária história alvinegra.

Fevereiro de 2016 e o Atlético repete a fórmula. Robinho é anunciado pelo clube mineiro como reforço para a temporada, depois de um período de pouco futebol na China. Mesmo disputando uma Liga com pouca qualidade técnica e quase nenhum grande concorrente por posição, Robinho não conseguiu ser titular do Guangzhou Evergrande.

Tão logo Robinho foi anunciado pelo presidente Daniel Nepomuceno, a torcida do Atlético iniciou uma série de comparações entre os dois jogadores, que vai além do passado vitorioso pelos clubes, seleção brasileira e conquistas individuais, guardadas devidas proporções. Robinho não foi melhor do mundo, como foi Ronaldinho, mas não deixa de ser uma grande estrela do futebol mundial e com um currículo recheado de conquistas, especialmente no futebol brasileiro, sempre com a camisa do Santos.

Comparação válida segundo os próprios jogadores do Atlético. O zagueiro Leonardo Silva jogou com Ronaldinho, agora vai atuar com Robinho e é mais um que vê semelhança nas duas contratações. "Vale a comparação sim. Pois são dois excelentes jogadores, guardadas as devidas proporções, mas são dois jogadores de seleção brasileira. O Robinho vem para ajudar, para fazer o mesmo que o Ronaldinho fez. É tentar ser campeão, ajudar a equipe e ajudar o clube a conquistar títulos".

E o que acha Robinho? O atacante evita comparações, mas deseja entrar para a história do Atlético, assim como fez Ronaldinho.

"O Ronaldinho, na minha opinião, é um jogador diferenciado, um gênio. Apesar do curto espaço de tempo aqui no Galo, ele fez uma história muito bonita, foi campeão e deixou seu nome marcado. Mas Ronaldinho é Ronaldinho e Robinho é Robinho. Ele fez história da maneira dele e espero fazer história aqui no Galo, da minha maneira", disse Robinho.

O UOL Esporte listou cinco motivos que fazem a contratação de Robinho ser semelhante à chegada de Ronaldinho, há quatro anos. Veja abaixo quais são.

IDADE

Pouco mais de dois meses após fazer 32 anos, Ronaldinho era apresentado na Cidade do Galo. A experiência aliada ao futebol de sempre foi fundamental para o meia brilhar com a camisa do Atlético e conquistar títulos, como a Copa Libertadores. E Robinho também chegou a Belo Horizonte com 32 anos, poucas semanas após comemorar o aniversário.

LONGE DO AUGE

Quando anunciado pelo Atlético, Ronaldinho já era visto como um jogador que estava mais perto do final da carreira do que aquele jogador que ganhou Copa do Mundo, Liga dos Campeões e foi eleito o melhor do planeta em duas oportunidades, em 2004 e 2005. Com a camisa alvinegra, Ronaldinho retomou os melhores momentos. Os resultados foram prêmios individuais, títulos com o clube, idolatria da torcida e até convocações para a seleção brasileira.

Robinho também não vive a melhor fase da carreira. Chegou ao Atlético após uma passagem apagada pelo futebol chinês, sendo reserva do Guangzhou Evergrande. Na Cidade do Galo, o atacante vai encontrar o ambiente que precisa para retomar seus melhores dias como jogador de futebol.

O NÃO ESTRANGEIRO

Por incrível que pareça, Ronaldinho jamais foi a primeira opção do Atlético em 2012. A possibilidade da contratação surgiu após o meia romper com o Flamengo. Mas tudo só foi possível graças ao não acerto com Diego Forlán. O atacante uruguaio era o nome pretendido pela diretoria e, inclusive, já negociava com o Atlético. No entanto, uma entrevista do pai do jogador desagradou o então presidente Alexandre Kalil, que desistiu do negócio. Pouco tempo depois surgiu a possibilidade em contratar Ronaldinho, operação que seria bem mais complicada em caso de acerto com Forlán.

Quatro anos depois um novo não de um gringo abriu o caminho para o Atlético fechar com Robinho. O ex-santista já havia sido procurado pelo clube mineiro em novembro do ano passado, mas sem nenhum avanço. A partir de então a diretoria continuou a busca por um parceiro de ataque para Lucas Pratto e ficou muito próximo do acerto com Calleri, que chegou a aceitar a proposta atleticana. No entanto, com o vazamento que o argentino negociava com o Atlético, o São Paulo atravessou o negócio e colocou mais dinheiro na jogada, ficando com o atacante que estava no Boca Juniors. Sem Calleri, o Atlético retomou as conversas com Robinho, dessa vez com o suporte da Dryworld e conseguiu contratar o atacante.

TIME PRONTO

Quando Ronaldinho chegou ao Atlético a equipe comanda por Cuca havia vencido o Campeonato Mineiro de forma invicta e somava duas vitórias em duas rodadas no Campeonato Brasileiro. O meia chegou e apenas completou o que faltava no time, que fez grande campanha no Brasileirão e ficou com o vice-campeonato.

Com Robinho é a mesma coisa. O Atlético tem mais uma vez uma equipe formada, que foi vice-campeã nacional em 2015 e começou a Libertadores com vitória, mesmo sem seu principal reforço para a temporada. "O Robinho vai encontrar no Atlético uma estrutura sensacional para trabalhar. Então, é só ele vir com vontade de trabalhar e ser campeão que tudo vai dar certo", avisou o zagueiro e capitão Leonardo Silva.

PRODUTIVIDADE

Ronaldinho Gaúcho ganhava cerca de R$ 1,2 milhão por mês no Flamengo. Mas aceitou receber R$ 300 mil no Atlético pelos primeiros seis meses. O que seduziu o craque? A chance de ganhar mais de acordo com o desempenho em campo. Se a partir de janeiro de 2014 o salário de Ronaldinho subiu para R$ 400 mil, no final de sua passagem pelo Atlético a média salarial foi de R$ 900 mil.

Valor que pode ser pago também para Robinho. Desde que o atacante consiga apresentar bom futebol em campo e o time colher os frutos, com boas campanhas e títulos. Robinho tem um salário fixo que gira em torno de R$ 350 mil. Porém, o valor final vai depender dos resultados apresentados.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos