Topo

Esporte


Parceria campeã não garante titularidade e rodízio é aprovado no Cruzeiro

Juliana Flister/Vipcomm
Dupla foi bicampeã brasileira, mas não possui lugar garantido entre os titulares de Deivid Imagem: Juliana Flister/Vipcomm

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

26/02/2016 06h00

No último jogo do Cruzeiro, o técnico Deivid montou sua defesa com os bicampeões Dedé e Bruno Rodrigo. A lesão de Manoel permitiu que o treinador retornasse com a antiga parceria que deu certo nos últimos anos. Porém, ainda em período de experiência com alguns jogadores, a zaga titular corre risco de sofrer outras alterações no futuro, mesmo após o bom desempenho no último jogo. Mesmo ciente dessa possibilidade, Bruno Rodrigo valoriza a alternância no setor e vê como benéfico o rodízio implantado por Deivid.

“Estamos ainda no começo de trabalho e o Deivid ainda procura pelo time ideal, mas acho que o Cruzeiro tem várias peças em todas as posições e que podem entrar para suprir a falta. Tive a oportunidade agora, procurei fazer meu melhor. O ano vai ser de muito trabalho e todos vão precisar estar à disposição e bem para entrar, porque com certeza será necessário usar todo o nosso elenco ao longo da temporada”, comentou o zagueiro, um dos pilares de Marcelo Oliveira no time campeão brasileiro de 2013. No ano seguinte, o tempo fora dos gramados o castigou e Bruno jogou menos de um terço da competição.

Conforme já informado, em breve a disputa por um lugar entre os 11 deverá se intensificar. Com um edema na coxa esquerda, Manoel segue em recuperação, mas o zagueiro Léo, de volta aos treinos após cinco meses, será a nova sombra dos defensores.

“Temos Manoel, Dedé, Léo, Bruno Viana, Fabrício e todos estes têm condições de ajudar o Cruzeiro, então todos estamos focados para quando chegar o momento de entrar na partida poder desempenhar um bom papel e dar conta do recado”, acrescentou Bruno Rodrigo.

No restante do time, as constantes trocas de Deivid também continuam. Até o momento, o treinador ainda não repetiu a escalação sequer uma vez nos seis compromissos oficiais da equipe. O meio-campo é o setor onde a concorrência é maior. Na disputa entre Henrique, Miño, Ariel Cabral e Romero, um deles ficará de fora. Mais à frente, Arrascaeta, Alisson, Élber, Marcos Vinícius e Pisano são os principais postulantes para ocupar duas vagas no meio. Correndo por fora, outros jogadores como Bruno Ramires, Uillian Correia, Marciel, Gino, Bruno Nazário e Alex sequer jogaram até o momento.

Mais Esporte