Cruzeiro quer "jogar por música", mas sofre com oscilações no caminho

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

    Objetivo é fazer o time voar e jogar por música, mas Deivid vê instabilidade como natural

    Objetivo é fazer o time voar e jogar por música, mas Deivid vê instabilidade como natural

Desde que iniciou seus trabalhos no time profissional do Cruzeiro, há quase dois meses, o técnico Deivid buscou implantar uma filosofia de posse de bola e domínio do jogo. Já nos primeiros compromissos do ano, ficou clara a intenção dos jogadores em permanecer com a bola e assim ditar o ritmo da partida. No clássico contra o América-MG, entretanto, a situação foi diferente. Pela primeira vez em 2016, o Cruzeiro terminou o jogo com menor posse de bola que o adversário.

E isso desagradou o técnico Deivid, que apontou o quesito como um dos motivos para o final de jogo dramático. Segundo ele, o objetivo no momento é fazer o time fluir e ser ofensivo, de modo que seus comandados 'joguem por música', mas vê com naturalidade a oscilação do grupo.

"O time evoluiu. É claro que quero mais. Se você perguntar se estou satisfeito, direi que não. Quero ganhar sempre. Quero que meu time jogue por música. Mas, estamos tendo dificuldade nos últimos cinco, 10 minutos, para valorizar a bola", disse.

No ano passado, o Cruzeiro terminou a temporada com uma das melhores defesas do Brasileiro. Porém, o atual time não se posta de maneira tão compacta e já andou dando alguns sustos, principalmente no final das partidas. Com jogadores mais distantes um do outro e sem a bola, como aconteceu no último clássico, o comportamento recuado chamou para as investidas do América-MG, que mesmo sem fazer muita pressão, continuou martelando até encontrar seu gol.

Ainda precisando convencer neste início de ano, Deivid pede paciência, mas vê com naturalidade a oscilação do time.

"A oscilação já estava no nosso planejamento. São cinco rodadas do Mineiro. Queria que o time estivesse voando, mas, infelizmente, alguns jogadores ainda estão se adaptando ao clube, ao país. Temos de dar um pouco mais de tempo, para que eles possam treinar, estar mais à vontade, para termos o time jogando no ideal", completou.

Para reajustar o grupo, o treinador terá uma semana inteira à disposição. O próximo compromisso do Cruzeiro só acontecerá no próximo domingo, contra a Caldense, atual vice-campeã estadual.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos