Pelo Cruzeiro, Deivid jamais sofreu um revés para o Atlético-MG

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Mauro Horita/Light Press/Cruzeiro

    Deivid estreia em clássicos como treinador e nunca saiu derrotado como jogador ou auxiliar

    Deivid estreia em clássicos como treinador e nunca saiu derrotado como jogador ou auxiliar

O clássico deste domingo (27) contra o Atlético-MG será o primeiro grande teste da ainda curta carreira de Deivid como treinador profissional. No Cruzeiro há quase três meses, o ex-artilheiro convive com atuações instáveis e a desconfiança da torcida, embora esteja na liderança do estadual.

Por isso, a estreia à beira do gramado contra o rival toma proporções ainda maiores para o comandante, ainda em busca de afirmação. Mas se depender do passado como jogador e auxiliar, Deivid tem um ótimo cenário para usar como inspiração. Enquanto esteve servindo as cores do Cruzeiro, nunca saiu derrotado no jogo de maior importância em Minas Gerais.

Em sua primeira passagem pelo Cruzeiro, Deivid deixou a equipe no segundo semestre, mas teve boa participação em todos os três títulos na campanha da Tríplice Coroa, em 2003. Naquela ocasião, o jogador enfrentou o Atlético-MG por duas vezes. Na vitória por 4 a 2 na fase única do Mineiro, o camisa 9 deixou sua marca. Depois passou em branco no empate sem gols pelo turno do Brasileirão.

Mais recentemente, participou do dérbi apenas do lado de fora, auxiliando Vanderlei Luxemburgo e Mano Menezes no comando da equipe, e também não saiu derrotado.

Vale lembrar ainda que Deivid foi o protagonista de uma amarga derrota na história do Atlético-MG. Em 2002, pelas quartas de final do Brasileirão, marcou quatro gols na vitória do Corinthians por 6 a 2 em pleno Mineirão, encaminhando a classificação para a semifinal do torneio.

"Clássico é diferente, já joguei muitos. Você pode ser vilão ou herói. Cruzeiro e Atlético é sempre diferente. Você vai ao shopping ou a um restaurante e só se fala no clássico. Quando cheguei aqui em 2003, tinha feito quatro gols contra o Atlético-MG, pelo Corinthians, em 2002. Só me deixaram estrear pelo Cruzeiro no clássico. Tenho falado com os argentinos que, se forem bem no clássico, ficarão bem com a torcida. A cidade para. Todo mundo está preparado e sabendo da importância", comentou o treinador, referindo-se aos gringos como Lucas Romero, Sánchez Miño e Pisano, que pegarão o rival pela primeira vez.

Com três pontos de vantagem para o Atlético-MG na atual tabela do Mineiro, um triunfo ou até um empate mantém o Cruzeiro com tranquilidade na briga para assegurar o topo nas duas rodadas restantes e garantir as vantagens no mata-mata. Em contrapartida, uma eventual derrota no Independência inverterá os papéis e deixará o time de Deivid na segunda colocação.

"O bom resultado é a vitória, os três pontos. Temos totais condições de chegar lá e fazer boa partida. Clássico se define em detalhes. Temos de estar concentrados, para não vacilar e ter de correr atrás. Temos de entrar ligados do começo ao fim para sair com três pontos".

Clássicos que Deivid defendeu as cores do Cruzeiro contra o Atlético-MG:

15/2/2003 – Cruzeiro 4 x 2 Atlético-MG (marcou um dos gols)
15/6/2003 – Cruzeiro 0 x 0 Atlético-MG
06/06/2015 – Atlético-MG 1 x 3 Cruzeiro (atuou como auxiliar técnico de Vanderlei Luxemburgo)
13/9/2015 – Cruzeiro 1 x 1 Atlético-MG (atuou como auxiliar técnico de Mano Menezes)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos