Cinco motivos que fazem o Cruzeiro de Deivid ser o melhor time do Mineiro

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Eduardo Valente/Light Press/Cruzeiro

    Deivid, técnico do Cruzeiro

    Deivid, técnico do Cruzeiro

Firmar-se como técnico do Cruzeiro foi complicado para Deivid. A cada partida da primeira fase do Campeonato Mineiro, o treinador sofreu com críticas. Ele chegou até a se reunir com a diretoria para avaliar o desempenho na Toca da Raposa II. Entretanto, após o triunfo no clássico com o Atlético-MG, os seus comandados precisam apenas de um empate para ratificar o posto de melhor do Estadual neste período inicial do torneio. Não é à toa que o ex-centroavante segue bem conceituado pela diretoria:

"A gente sabe que foi uma medida ousada colocar um treinador no seu primeiro trabalho já num clube gigante como o Cruzeiro, mas apostamos em continuidade e conceitos. Já vínhamos com trabalho de bom resultado com o Mano (Menezes), que foi interrompido. Acreditamos que nós, tanto diretoria quanto torcedor, estamos vendo melhora do time. Nem nas vitórias tudo está bom. Nem nas derrotas, apesar de ter sido uma só, está tudo ruim. A gente procura sempre melhora", afirmou.

Mas como o ex-auxiliar de Mano Menezes transformou uma equipe desacreditada na única invicta do Estadual? O UOL Esporte apresenta uma lista com cinco motivos para o futebol apresentado pelo líder da competição.

1) Manutenção de jogadores

Juliana Flister/Light Press/Cruzeiro

O time considerado titular por Deivid conta com apenas três atletas contratados na atual janela de transferências: Sánchez Miño, Lucas Romero e Rafael Silva – substituto do lesionado Willian nos compromissos mais recentes. Os outros sete jogadores que formaram a escalação diante do Atlético-MG, no estádio Independência, já estão na Toca da Raposa II há algum tempo. A manutenção do elenco é fundamental para o entrosamento dentro e fora de campo.

2) Carinho do elenco

Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

O respeito e o carinho do plantel pelo treinador são dois pontos primordiais. Deivid jogou futebol até 2014, quando anunciou a saída do Coritiba. Aposentado há pouco tempo, ele tem a linguagem boleira em seu discurso e, por isso, conquistou o grupo do Cruzeiro. No ano passado, os atletas solicitaram a efetivação de Deivid e, em fevereiro passado, defenderam o treinador das críticas feitas pela imprensa.

3) Consistência defensiva

Juliana Flister/Light Press/Cruzeiro

A solidez do sistema defensivo é um ponto positivo no trabalho de Deivid na Toca da Raposa II. O Cruzeiro tem a melhor defesa do Campeonato Mineiro, com quatro gols sofridos em nove partidas. A rede é vazada 0,44 vez a cada compromisso. O treinador reconhece, constantemente, que este é um fator importante e exige que seus jogadores iniciem a marcação a partir dos homens de frente.

4) Experiência de atletas

Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

O elenco do Cruzeiro é formado por muitos jovens. A média de idade do plantel é de 24 anos. Entretanto, há jogadores que contribuem passando as suas experiências aos garotos. Deivid conta com alguns líderes no grupo. Os mais ativos são o goleiro Fábio, o zagueiro Bruno Rodrigo, o volante Henrique, o meio-campista Ariel Cabral e o atacante Willian. O quinteto auxilia o comandante, de apenas 36 anos, nas conversas com os demais atletas.

5) Sequência da ideia

Washington Alves/Light Press

O treinador mudou a forma de jogar em relação ao que Mano Menezes, seu antecessor, utilizou na temporada passada. Porém, mesmo com as críticas recebidas no início do Campeonato Mineiro, Deivid manteve as suas convicções e insistiu no futebol com troca de passes no meio de campo e retenção da posse de bola. O perfil tem dado certo e, inclusive, foi preponderante no clássico diante do arquirrival Atlético-MG.


 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos