Envergonhado com vexame, presidente do Atlético-MG cobra comissão e atletas

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Bruno Cantini/Atlético-MG

    Presidente do Atlético-MG, Daniel Nepomuceno, não ficou nada satisfeito com o desempenho recente do time

    Presidente do Atlético-MG, Daniel Nepomuceno, não ficou nada satisfeito com o desempenho recente do time

O dia seguinte do Atlético-MG após a derrota para o Tricordiano, pela última rodada do Campeonato Mineiro começou com cobrança. O presidente do clube, Daniel Nepomuceno, esteve na Cidade do Galo pela manhã e ficou reunido com os jogadores e a comissão técnica por quase uma hora, no auditório do hotel do CT alvinegro.

Como não podia ser diferente, o mandatário do Atlético foi cobrar melhor desempenho do elenco, depois de duas derrotas seguidas. A equipe alvinegra vem de derrotas para Independiente Del Valle e Tricordiano. A conversa começou por volta de 10h e somente às 11h que os primeiros jogadores apareceram no gramado, casos dos goleiros Lauro e Uilson.

"Tivemos uma reunião com todo o elenco, a comissão técnica. Foi um dia de muita cobrança. Tenho que dar satisfação para a torcida e para a imprensa. É uma semana importante. Não podemos cometer nem 10% dos erros da última semana. Viemos para cobrar dos jogadores, da comissão técnica", disse Nepomuceno em coletiva após a reunião com os profissionais do clube.

"É para mostrar a pressão que vamos passar contra o Melgar e nas semifinais do Mineiro. E principalmente da responsabilidade que é ter um elenco forte como construímos e da responsabilidade de avançar na Libertadores e ganhar esse Campeonato Mineiro. Foi uma reunião longa, mostramos confiança nos jogadores e na comissão técnica. Acreditamos eles. Respeito muito a garra do Tricordiano, mas foi muito além dos nossos objetivos perder em casa de goleada. É uma semana de cobrança para a gente apresentar para a torcida o que estamos fazendo aqui dentro, com resultados mais tranquilos para sair dessa gangorra que vivemos na última semana".

Foi a primeira vez que o Atlético sofreu quatro gols atuando no novo Independência, portanto, desde maio de 2012. E por se tratar de um confronto com uma equipe do interior, com orçamento muito menor do que possui o Atlético, o resultado desse domingo deixou o presidente alvinegro envergonhado.

"Sinto a vergonha, ela é indiscutível. A dedicação é muita, tem muito trabalho, e um resultado desse coloca em xeque o meu trabalho. Mas eu tenho que acreditar que o resultado de ontem sirva de lição, porque senão perco o objetivo. Depois desse resultado, o alarme fica ligado. Temos que apresentar mudanças, mais foco em nosso objetivo e com toda a responsabilidade".

Para os jogadores e comissão técnica, a chance de dar uma resposta positiva em campo vai ser nesta quinta-feira. O Atlético define sua situação na Copa Libertadores, contra o Melgar, do Peru. Com 10 pontos, a equipe mineira está na liderança do grupo 5 e precisa de apenas um empate para avançar de fase sem depender de outros resultados. Porém, o objetivo do Atlético é terminar na liderança e com o melhor saldo de gols possível.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos