Atlético-MG aciona FMF e tenta reverter proibições do Cruzeiro no clássico

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • EFE/Paulo Fonseca

    Cruzeiro vetou entrada de bandeiras e instrumentos musicais na torcida atleticana

    Cruzeiro vetou entrada de bandeiras e instrumentos musicais na torcida atleticana

O Atlético-MG reagiu rápido ao veto imposto pelo Cruzeiro para o clássico deste sábado. Na reunião da última terça-feira, o time celeste, mandante da partida, decidiu que a torcida alvinegra não poderá levar faixas e instrumentos musicais para o Mineirão. Além disso, o mascote "Galo Doido" também está proibido de entrar em campo. Nesta quinta-feira, a diretoria atleticana informou que o clube já entrou em contato com a Federação Mineira de Futebol para tentar cancelar as proibições feitas.

"O Atlético acionou, na manhã desta quinta-feira, a FMF, para que a mesma faça cumprir o regulamento e comunique a PM, sobre a entrada de bandeiras e instrumentos no Mineirão, na partida diante do Cruzeiro. Vale lembrar que, na reunião, a polícia não se opôs à questão", informou o Atlético, por meio de sua assessoria de imprensa.

Ainda nesta manhã, o vice-presidente do Cruzeiro, Bruno Vicintin, esteve na Toca da Raposa e comentou sobre o assunto. Para o diretor, a postura do clube celeste nada mais é que um reflexo das atitudes atleticanas quando o clássico é realizado no Horto.

"Até na diplomacia existe a reciprocidade. Essas picuinhas não ganham jogo. Porém o Cruzeiro tem direito de exercer a reciprocidade. Nossa torcida merece respeito, sofre muito no Independência. Estas coisas no clássico, proibição de mascote, bandeira, instrumento, foram criadas pelo nosso rival. Estamos fazendo uma reciprocidade", disse Vicintin.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos