Tabu faz o Atlético-MG ter meio time que ainda não venceu o Cruzeiro

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Bruno Cantini / Flickr

    Com dois gols, Lucas Pratto foi o grande nome do Atlético-MG na última vitória sobre o Cruzeiro

    Com dois gols, Lucas Pratto foi o grande nome do Atlético-MG na última vitória sobre o Cruzeiro

No dia 19 de abril de 2015 o Atlético-MG venceu o Cruzeiro por 2 a 1, de virada, com gols dois de Lucas Pratto, após Arrascaeta abrir o placar para o time celeste. O triunfo naquela tarde de domingo marcava o 11º clássico invicto da equipe alvinegra sobre o maior rival, a terceira maior sequência de invencibilidade no histórico do confronto.

No entanto, a vitória que colocou o Atlético na decisão do Mineiro de 2015, também foi a última sobre o Cruzeiro. Desde então, em seis confrontos, a equipe celeste não foi derrotada. Nesse período de quase dois anos foram quatro vitórias do Cruzeiro e mais dois empates. Dos 14 atletas utilizados pelo técnico Levir Culpi na última vitória do Atlético no clássico, dez não estão mais na Cidade do Galo, além do próprio treinador.

Com tantas mudanças nas últimas temporadas, pelo menos metade do time que for escalado por Roger Machado na tarde deste sábado vai buscar a primeira vitória sobre o Cruzeiro com a camisa do Atlético. Dos possíveis 11 titulares, apenas uma estreia confirmada, do volante Elias, contratado no final de janeiro e que assistiu do camarote do Mineiro o único confronto entre os grandes rivais em 2017, vencido pelo Cruzeiro, por 1 a 0, pela Primeira Liga. Danilo também não jogou o clássico pelo Atlético. Ficou no banco no primeiro duelo do ano.

"A gente vem pensando jogo a jogo, respeitando cada adversário que vem pela frente. A gente vai dar nossa vida contra o rival para manter o 100% no Mineiro", disse o lateral, que disputa com Otero uma vaga na equipe titular.

E são nomes importantes que seguem sem vencer o maior rival pelo Atlético. A dupla de ataque, formada por Robinho e Fred, é um exemplo. Ambos seguem em busca do primeiro triunfo sobre o Cruzeiro. Fred até fez gol, na estreia, mas foi derrotado. Robinho nem gol ainda anotou diante do time cruzeirense. A lista de atleticanos que ainda não venceram o clássico fica ainda maior com a inclusão de Felipe Santana, Gabriel, Fábio Santos, Cazares e Otero.

O tabu já incomoda tanto na Cidade do Galo, que mesmo em um jogo de nenhum valor para a competição, já que o Atlético tem o primeiro lugar confirmado, o técnico Roger Machado fechou o treino dessa quinta-feira e vai fechar parte da atividade desta sexta-feira.

"A motivação é gigantesca. A mesma de uma final de Libertadores. Do outro lado vamos encontrar uma equipe com sangue no olho para nos pegar. Mas temos que diminuir nossos erros para quebrar esse tabu", disse o zagueiro Felipe Santana, que foi protagonista no primeiro clássico de 2017, ao falhar no lance que originou o gol do Cruzeiro.

Mas o Atlético não é formado apenas por jogadores que nunca venceram o Cruzeiro. O elenco ainda conta com alguns atletas do período em que o clube ficou 11 jogos invicto diante do rival, estabelecendo a terceira maior sequência do confronto, atrás apenas das marcas do próprio Atlético (13 jogos entre 1985 e 1987) e o do Cruzeiro (12 jogos entre 2007 e 2009).

Entre os remanescentes estão o goleiro Giovanni. Com ele em campo, o Atlético tem uma vitória marcante, pelo Brasileirão de 2013, por 1 a 0, com gol de Fernandinho. O camisa 20 sabe como é importante vencer o rival, mesmo quando os pontos não são o fator mais importante do encontro.

"Todo mundo quer ganhar o clássico. O importante é a gente chegar nesse jogo, fazer nosso papel e conquistar os três pontos. Vamos para deixar esse histórico ruim para trás. Vamos para buscar o resultado positivo. A gente vai forte para enfrentar o Cruzeiro e surpreender eles lá dentro. Vamos para buscar o resultado positivo".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos