Ainda invicto contra o rival, Mano vê Cruzeiro merecedor no clássico

Enrico Bruno, Thiago Fernandes e Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

O técnico Mano Menezes continua sem saber o que é derrota para o Atlético-MG desde que chegou ao Cruzeiro. Somadas as duas passagens pelo time celeste, o treinador já presenciou quatro clássicos, dos quais empatou dois e venceu dois. O último deles terminou com o placar de 2 a 1, pela nona rodada do Campeonato Mineiro, e contou com a qualidade individual e obediência tática de seus jogadores para construir o triunfo.

"Nós precisávamos encontrar um equilíbrio novamente. Esperávamos uma equipe que se projetasse dentro do nosso campo de jogo, e o Atlético vinha fazendo isso com competência e qualidade. Tínhamos que ter variações e uma delas deu certo logo no início do jogo. Depois o jogo se tornou mais parelho, o Atlético levemente melhor, com volume e a gente controlando esse volume. Conseguimos fazer com que um time de qualidade como o Atlético não chegasse com tanto perigo", comentou o treinador.

Apesar do final de jogo com pequenos ares de tensão, já que o Atlético marcou o gol de honra e teve um gol anulado já no apagar das luzes, Mano minimizou o bom momento do rival e valorizou a maior parte da partida em que seu time foi superior e mereceu sair com os três pontos.

"A gente não pode analisar o jogo pela exceção. Tirar dez minutos de um jogo de 90 minutos para fazer uma a análise seria uma injustiça. Eu não farei isso com minha equipe. O adversário não tinha outra alternativa a não ser fazer o que fez, ao colocar um jogador de área. O árbitro poderia até fazer uma marcação mais sensível, pois é ser humano, pode acabar errando, o que seria normal. Mas com aquilo que foi feito nos outros 80 minutos", completou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos