Tabu fica de lado e clássico ganha importância para sequência do Cruzeiro

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

    Dar moral e ganhar confiança para clássicos futuros: a importância de vencer para o Cruzeiro

    Dar moral e ganhar confiança para clássicos futuros: a importância de vencer para o Cruzeiro

Neste sábado (1), a partir das 16h, Cruzeiro e Atlético-MG se enfrentam pelo Campeonato Mineiro. Apesar de ter perdido parte de sua importância em termos de tabela, já que o time celeste não pode mais tomar a ponta do rival, a partida ainda conta com alguns ingredientes necessários para o futuro da equipe de Mano. Mesmo com o retrospecto positivo de seis jogos a favor, sendo três deles sob seu comando, o treinador diminui a importância do tabu para o rival e valoriza a necessidade de jogar bem para resgatar as boas atuações e evitar comprometer partidas futuras.

"Isso serve de referência. Sou uma pessoa que não acredita em tabu, sempre me perguntam isso e eu falo que se não ganhamos é porque está nos faltando algo nos jogos. Se ganhamos ou empatamos os últimos, é porque tivemos méritos. Mas eles já foram jogados, agora teremos que ser competentes novamente", comentou o treinador, referindo-se ao tabu positivo do Cruzeiro de seis jogos sem perder um clássico. A última derrota celeste aconteceu na semifinal do estadual de 2015. Além disso, a Raposa ainda está invicta na temporada. Até aqui, foram 16 jogos, 13 vitórias, três empates e nenhuma derrota. Mas o alto índice de aproveitamento também não empolga Mano, que está mais preocupado em vencer o rival para ganhar moral após partidas aquém do esperado.

"O Cruzeiro está invicto na temporada, mas isso faz parte do passado. Agora é hora de escrever a história deste clássico. Já vencemos um clássico este ano (1 a 0 pela Primeira Liga), fizemos um bom jogo e só vamos vencer outro se estivermos bem preparados. Os jogadores sabem a influência disso para frente, já que o jogo não tem um caráter tão decisivo neste momento. Mas logo ali na frente, se Deus quiser, vamos jogar novas partidas com caráter mais decisivo. E aí o que acontecer no sábado vai influenciar nos próximos jogos", acrescentou.

Vale lembrar que, após o clássico, o Cruzeiro irá iniciar uma nova maratona de jogos. Porém, desta vez, a equipe terá que dividir a fase de mata-mata do Mineiro com outras decisões. Três dias após pegar o Atlético, o time celeste voltará ao Mineirão para receber o Nacional, do Paraguai, pela Copa Sul-Americana. Na semana seguinte, terá pela frente ninguém menos que o São Paulo, pela Copa do Brasil.

Virtualmente classificado na segunda colocação da primeira fase, o Cruzeiro poderá se reencontrar mais uma vez com o Atlético se ambos fizerem bem seus deveres nas semifinais. Se isso ocorrer, a dupla voltará a decidir o título estadual após três anos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos