Fábio vive expectativa após 8 meses parado: "como se fosse o primeiro jogo"

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Washington Alves/Cruzeiro

    Goleiro concedeu entrevista coletiva nesta sexta, a dois dias do retorno aos campos

    Goleiro concedeu entrevista coletiva nesta sexta, a dois dias do retorno aos campos

A espera de Fábio chegou ao fim. Quase oito meses depois de romper o ligamento cruzado anterior do joelho direito, o goleiro se prepara para retornar à meda do Cruzeiro. Jogador que mais vestiu a camisa celeste em toda a história, o camisa 1 está confirmado para a partida deste domingo contra o Democrata, no Mineirão, fechando a primeira fase do Campeonato Mineiro. Nesta manhã de sexta-feira, o goleiro concedeu sua entrevista coletiva, algo que não fazia há muito tempo, e não escondeu a satisfação em voltar aos gramados.

"É como se fosse o primeiro jogo, a estreia com a camisa do Cruzeiro. Ter a oportunidade de entrar em campo, de jogar, independente do adversário e das condições na tabela. Minha motivação sempre foi de respeito em todos esses anos. Quero aproveitar bem esses momentos que nos trazem alegria", comentou o goleiro.

Fábio se machucou no dia 14 de agosto de 2016, durante a partida contra o Coritiba, pelo Brasileirão. Desde então, o gol do Cruzeiro foi defendido por Rafael, atual titular e que será poupado neste domingo, que tem dado conta do recado. Após dar o primeiro passo de volta aos campos, a próxima tarefa de Fábio será tentar recuperar a vaga que foi sua nos últimos 12 anos.

"Eu sempre tive sombra, mas mostrei meu potencial, minha dedicação em continuar jogando. Sempre respeitei todos os goleiros que estiveram aí. Com o Rafael também foi dessa forma, quando ele assumiu o posto de segundo goleiro e subiu para o profissional. Vi que ele foi muito bem, isso foi muito importante para o Cruzeiro e para ele mesmo. Sempre houve uma desconfiança com ele e hoje temos concretizado que ele conseguiu assumir muito bem", acrescentou.

"Em termos de titular ou reserva, depende do critério do treinador. Tenho que ter oportunidade para jogar. Se eu não tiver condição de manter o meu nível, não tem problema nenhum ficar no banco. São coisas do futebol. Dentro do trabalho desenvolvido depois da lesão, acho que é dentro de campo que se resolve. Graças a Deus estou tento essa oportunidade novamente".

Veja outros trechos da entrevista coletiva do goleiro Fábio:

Ansiedade pelo retorno
Já faz 12 anos que estou aqui, cada momento que você pode jogar no Mineirão é gratificante. Ainda mais depois de um período tão longo, fica aquela vontade de fazer o que você já fez em outras oportunidades. Com certeza será mais um momento que ficará na minha memória. Espero que seja mais um de muitos que virão pela frente com a camisa do Cruzeiro.

Bom momento de Rafael adiou volta precipitada
Se o Rafael não estivesse bem, eu já teria voltado antes. Talvez a volta fosse precipitada. Com o trabalho da comissão, do Robertinho e do Mano, o Rafael teve esse bom momento e eu tive a preparação para voltar 100% em todos os aspectos.

História com a camisa 1
A camisa 1 é história dos goleiros que fizeram parte desta história vitoriosa do Cruzeiro ao longo dos anos, com conquistas. A camisa é do torcedor do Cruzeiro, não é minha. Eu estou tentando escrever a minha história. Espero vesti-la até o último dia da minha carreira. Deus escreve a história da minha vida e vai continuar escrevendo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos