Diretoria do Cruzeiro queixa-se de "insulto" da FMF ao vice de futebol

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

    Bruno Vicintin, vice-presidente de futebol do Cruzeiro, fala sobre relacionamento com a FMF

    Bruno Vicintin, vice-presidente de futebol do Cruzeiro, fala sobre relacionamento com a FMF

A relação entre Cruzeiro e Federação Mineira de Futebol (FMF) voltou a ter um capítulo polêmico às vésperas da decisão do Campeonato Mineiro. Em entrevista à Rádio Itatiaia, Castella Neto, presidente da instituição que rege o esporte no estado, questionou a autoridade de Bruno Vicintin, vice-presidente de futebol da Raposa, para falar em nome do clube. O fato acarretou em nota de repúdio por parte do finalista.

"Reitero a minha informação de sempre no sentido de que entre a Federação e o Cruzeiro há amplo diálogo e muito respeito entre ambas as partes. Eu sempre tive excelentes contatos com o presidente Gilvan e falo todas as semanas com o presidente Gilvan. É claro que nem sempre a Federação pode atender a todas as amarras do Cruzeiro. É claro que entre mim e o Bruno (Vicintin, vice-presidente de futebol) não há pleno diálogo. Até porque para que isso aconteça o Bruno tem que galgar alguns espaços até para ter a autonomia de falar em nome do clube em um futuro", disse o dirigente da FMF.

O vice-presidente de futebol cruzeirense confirmou que não há conversas entre as partes e exigiu mais respeito por parte da Federação:

"Entre mim e o senhor Castellar não existe diálogo. Eu não vou falar antes de partida final. Eu só falarei que entre nós não existe diálogo. Ele deveria respeitar muito mais a instituição Cruzeiro. Nem ele, nem o senhor Paulo Bracks e nem o senhor Adriano Aro respeitam. Talvez, nunca, na história, houve um relacionamento tão ruim entre Federação Mineira de Futebol e Cruzeiro", comentou.

A polêmica é por conta da questão envolvendo a presença de torcidas nas partidas da final do Estadual. O Cruzeiro queria que ambos os duelos ocorressem no Mineirão, com o estádio dividido. Por outro lado, o arquirrival Atlético-MG recusou a proposta e contou com o apoio da FMF, fato que indignou a diretoria celeste.

Nesta quarta-feira (26), a cúpula cruzeirense divulgou uma nota oficial questionando a parcialidade da FMF em prol do oponente. Confira, abaixo, o comunicado da Raposa:

"A diretoria do Cruzeiro Esporte Clube se sentiu ofendida com as declarações de cunho pessoal, desrespeitosas e agressivas proferidas pelo senhor Castellar Neto, presidente da Federação Mineira de Futebol, dadas à uma emissora de rádio de Belo Horizonte, na manhã desta quarta-feira.

Ao insultar o nosso Vice-Presidente de futebol, senhor Bruno Vicintin, alegando que o dirigente não possui autoridade para falar em nome do Cruzeiro, mais uma vez o presidente da Federação Mineira de Futebol deixa falar mais alto seu lado torcedor, longe de qualquer postura que represente a figura que deveria ser a máxima do futebol mineiro.

Aliás, a conduta do senhor Castellar Neto não é surpresa, afinal, o mesmo se trata de um cidadão que tem uma preferência clubística indisfarçável, tendo inclusive, em um passado recente, se fantasiado de mascote do nosso maior rival, e ainda usado a camisa de uma equipe argentina para comemorar um título de Copa Libertadores.

A diretoria do Cruzeiro Esporte Clube exige respeito de todos os integrantes da Federação Mineira de Futebol e espera que nessa final de campeonato, com total imparcialidade e isenção, sejam disputados dois jogos em igualdade de condições, dentro e fora de campo, sem nenhum favorecimento a qualquer um dos times, diferente do que aconteceu nos dois últimos campeonatos, quando o Cruzeiro foi impedido de chegar às decisões com erros escandalosos da arbitragem".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos