Reforço do Galo idolatra D'Alessandro e revela em qual posição pode jogar

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Divulgação Atlético-MG

    Tomás Andrade foi emprestado pelo River Plate ao Atlético-MG até o fim de 2018

    Tomás Andrade foi emprestado pelo River Plate ao Atlético-MG até o fim de 2018

Em Belo Horizonte desde o início da semana, o argentino Tomás Andrade foi confirmado na quarta-feira como o sétimo reforço do Atlético-MG para a temporada 2018. Apresentado nesta sexta-feira, na Cidade do Galo, o jogador falou um pouco de suas características e gostos. Um declarado fã de D'Alessandro, do Internacional, Tomás Andrade também explicou como pode atuar, já que existia uma dúvida sobre seu posicionamento.

"Quando jogava na base, no River, jogava sempre de enganche (armador). Depois, joguei pelos lados mais que pelo meio. Para mim é igual, tanto pela direita, centro ou esquerda, sem problemas", comentou o reforço atleticano, colocando fim sobre um questionamento sobre como poderia jogar.

Assim, Tomás Andrade que coloca à disposição do técnico Oswaldo de Oliveira para atuar em qualquer uma das três funções na linha de meias. O treinador atleticano já revelou que seu esquema favorito consiste com três jogadores atuando numa linha ofensiva atrás do centroavante, sendo um pela direita, outro pelo meio e o terceiro pela esquerda.

Ao confirmar que pode assim atuar centralizado, Tomás Andrade chega para preencher uma lacuna no elenco atleticano. Oswaldo de Oliveira cobrava desde o início do ano pela contratação de mais um jogador para função. Até o momento, o comandante atleticano tem usado Cazares na equipe titular. Valdívia é quem jogou nas vezes que o Galo atuou como time reserva.

Pelo fato de ter atuado como "enganche", como os argentinos chamam o armador, e também por ser formado nas categorias de base, Tomás Andrade tem em D'Alessandro uma referência. O camisa 10 do Internacional serve como inspiração para o novo reforço atleticano, que comentou sobre o ano em que ambos jogaram juntos, em 2016.

"Quando jogava na Argentina eu sempre dizia que o D'Alessandro era meu espelho. Quando eu era pequeno, diziam que eu jogava como ele. Depois jogamos juntos no River e é um amigo e uma inspiração para mim".

Quem também foi companheiro de Tomás Andrade foi o atacante Lucas Pratto, o estrangeiro com mais gols com a camisa do Atlético. Porém, foram apenas cinco dias de contato. O suficiente para o centroavante falar muito bem do clube e também de Belo Horizonte. E Tomás aprendeu bem. Já na chegada ele não poupou elogios à nova casa para justificar o motivo de optar pelo Atlético.

"Estava jogando em uma equipe muito grande da Argentina. Pensei que era bom ir para um time muito grande. E entre todos que me queriam, o Atlético era a maior. Por isso escolhi o Atlético", completou o argentino, que já está regularizado no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF. Portanto, em condições de estrear já neste domingo, contra o Patrocinense, às 17h, no Independência, pela quarta rodada do Campeonato Mineiro.

Tomás Andrade chegou ao Atlético emprestado pelo River Plate até dezembro, com o clube mineiro pagando apenas o salário do atleta. Os direitos do jogador estão fixados em 3,75 milhões de euros (aproximadamente R$ 14 milhões). Com Tomás Andrade, o Atlético já contratou sete jogadores para 2018. Antes do argentino, chegaram à Cidade do Galo o zagueiro Iago Maidana, o lateral direito Samuel Xavier, o volante Arouca e os atacantes Erik, Róger Guedes e Ricardo Oliveira.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos