Mano Menezes defende Oswaldo após demissão: "temos que parar para pensar"

Do UOL, em Belo Horizonte

  • André Yanckous/AGIF

    O técnico Mano Menezes se mostrou solidário a Oswaldo de Oliveira, demitido pelo Atlético-MG

    O técnico Mano Menezes se mostrou solidário a Oswaldo de Oliveira, demitido pelo Atlético-MG

A rivalidade para os profissionais do futebol fica apenas dentro do campo. Tanto é assim, que o técnico do Cruzeiro, Mano Menezes, saiu em defesa de Oswaldo de Oliveira, demitido pelo Atlético-MG nesta sexta-feira. O treinador caiu após uma confusão com um repórter, na entrevista depois do jogo com o Atlético-AC, pela Copa do Brasil, embora a diretoria alvinegra informa que a decisão foi apenas técnica.

O Cruzeiro venceu o Democrata-GV por 2 a 0, pela 6ª rodada do Campeonato Mineiro, no Mamudão, em Governador Valadares. Mas antes de falar do confronto que deixou sua equipe com pontuação suficiente para disputar a próxima fase da competição, o treinador cruzeirense saiu em defesa do companheiro de profissão, demitido pelo Atlético.

"Quero dizer que a Associação dos Técnicos do Brasil está do lado do Oswaldo de Oliveira, pelo episódio ocorrido durante a semana. Não é para proteger um colega, mas no mínimo par apensar nossa relação do dia a dia. A cada episódio como esse, que as coisas passam do limite, vergonhosamente, para todos os envolvidos, temos que parar para pensar, para todos fazerem um pouco melhor. Só para pensar os passos que temos de dar depois disso tudo", comentou o treinador do Cruzeiro.

Depois, Mano seguiu falando sobre a saída de Oswaldo de Oliveira do Atlético. Na visão do técnico cruzeirense, a troca no comando do rival com pouco mais de um mês desde o início da temporada, faz mal para todo o futebol brasileiro.

"A questão da demissão do Oswaldo pertence ao Atlético e nós do Cruzeiro não devemos nos envolver nosso. Como pensamento de futebol, eu acho que existe um exagero. Há bastante tempo tem esse exagero, quando não temos tempo suficiente de trabalho. Na medida que não conseguimos fazer isso, o futebol brasileiro deixa de evoluir".

Já sobre o duelo com o Democrata-GV, Mano descreveu o confronto como mais difícil dos seis que o Cruzeiro teve no Campeonato Mineiro. O treinador elogiou o goleiro Fábio e apontou o gramado como uma das razões para sua equipe não repetir as boas atuações de rodadas anteriores.

"Foi o jogo mais difícil que jogamos até aqui, Fábio fez grandes defesas em situações de gol. Um pouco tem a ver com o campo, que não é do nível que estamos acostumados, para desenvolver nosso melhor futebol e nós erramos muito".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos