Contra jejum de 40 anos atrás, Cruzeiro evita oba-oba na volta da semifinal

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • UARLEN VALéRIO/O TEMPO/ESTADÃO CONTEÚDO

    Com um pé na final, Cruzeiro pode até perder por um gol de diferença que estará na final

    Com um pé na final, Cruzeiro pode até perder por um gol de diferença que estará na final

O Cruzeiro está com um pé na final do Campeonato Mineiro. Às 11h deste domingo, o time celeste pode até perder por um gol de diferença para o Tupi que ainda sim estará garantido na decisão do estadual. Apesar da vantagem, o discurso na Toca é de pés no chão. Com muito respeito à equipe de Juiz de Fora, a Raposa vai com cautela para o compromisso a fim de evitar que um jejum de mais de quatro décadas volte a bater na porta: ficar quatro anos sem um título do estadual.

O último título mineiro do Cruzeiro foi em 2014, com Marcelo Oliveira. De lá pra cá, a equipe parou nas semis para o rival Atlético no ano seguinte e para o América em 2016. No ano passado, chegou à final, mas caiu para o rival alvinegro mais uma vez. Se ficar pelo caminho desta vez, o time voltará a conviver com o jejum que não acontece desde a década de 70. De 1978 a 1983, o clube não conseguiu ser soberano em Minas. Por isso, o discurso é bem claro.

"O foco nosso é em cada jogo, em cada passo, não podemos pensar na final antes de chegar na semifinal. Temos muito respeito pelo Tupi, a equipe deles é muito boa, e precisamos entrar concentrados. Clima de já ganhou a gente deixa para o externo, porque aqui vamos ter que correr para garantir a classificação. O Tupi chegou em quarto na primeira fase do Mineiro, classificou para semifinal com mérito, é um time que vem jogando muito bem e sabemos da dificuldade", comentou o goleiro Rafael, responsável por proteger a meta celeste neste domingo, já que o titular Fábio está suspenso.

Rafael é uma das poucas dúvidas que foram solucionadas no time que começa jogando. No meio-campo, Mano não poderá contar com Ariel Cabral, também suspenso. Lucas Silva e Bruno Silva brigam pela vaga, mas o escolhido não foi informado pelo técnico. No ataque, situação parecida com Fred e Raniel. O veterano já está de volta e à disposição, mas ainda é incerta sua presença entre os onze jogadores iniciais.

"A gente procura ser criterioso para que todos os jogadores entendam a linha de pensamento. Vamos escolher sempre aquilo que for melhor para o Cruzeiro, levando em consideração o contexto todo, os jogos que teremos pela frente, o retorno de alguns jogadores. Acho que o mais importante é ter um grupo com essa qualidade para escolher e tomar as decisões importantes e a equipe render bem", despistou Mano.

CRUZEIRO x TUPI

Motivo: jogo da volta, semifinal do Mineiro
Data/Hora: 25/03/2018, às 11h
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (FIFA/RJ)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Corrêa (FIFA/RJ) e Gabriel Conti Viana (CBF/RJ)

CRUZEIRO: Rafael; Lucas Romero, Dedé, Murilo e Egídio; Lucas Silva, Henrique, Robinho e Thiago Neves; Rafinha e Raniel (Fred). Técnico: Mano Menezes.

TUPI: Vilar; Rodrigo Dias, Sidimar, Wellington e Patrick Brey; Leo Costa, Leo Salino, João Vitor e Vitinho (Patrick); Renato Kayser e Reis. Técnico: Ricardo Leão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos