Final com Mineirão meio a meio? Agora o Atlético-MG quer e o Cruzeiro não

Enrico Bruno e Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Marcus Desimoni/UOL

    Cena rara no Mineirão após a reforma: torcidas de Atlético-MG e Cruzeiro meio a meio

    Cena rara no Mineirão após a reforma: torcidas de Atlético-MG e Cruzeiro meio a meio

Durante quase 50 anos o maior clássico do futebol de Minas Gerais foi disputado no Mineirão e com as duas torcidas dividindo o estádio em partes iguais. Foi assim entre 1965, ano da inauguração do Gigante da Pampulha, até 2010, quando o Mineirão foi fechado para ser reformado. Para a final do Campeonato Mineiro de 2018, o Atlético-MG se mostra favorável ao retorno dessa tradição nos clássicos.

Postura bem diferente dos anos anteriores, quando o clube foi comandado por Alexandre Kalil e, posteriormente, por Daniel Nepomuceno. Os dois presidentes anteriores não viam o Mineirão como uma boa opção para o Galo jogar. Especialmente os clássicos, que passaram a ser disputado como outra partida qualquer, sendo 90% da carga de ingressos para a torcida mandante e 10% para os visitantes.

Mas nesta temporada, sob a gestão de Sérgio Sette Câmara, o Atlético tem uma nova postura. O clube se mostra propenso a jogar as duas partidas da final do Estadual no Mineirão, com as duas torcidas dividindo o estádio meio a meio.

"Já declarei que sou a favor de jogos Atlético x Cruzeiro com torcidas divididas, nem problema nenhum. É uma questão de trabalhar a segurança", disse Sette Câmara, que se classifica como dirigente da nova geração e com pensamentos diferentes do que os antigos cartolas.

Por outro lado, o Cruzeiro que já havia demonstrado o interesse em disputar o clássico com as duas torcidas tendo 50% dos bilhetes, descarta essa possibilidade para 2018. Procurado pelo UOL Esporte, o vice-presidente celeste, Itair Machado, descartou um acordo para os dois próximos clássicos, mas deixou aberta a possibilidade para o futuro.

"Para esta final o Cruzeiro não cogita fazer os dois clássicos meio a meio. Mas a partir dos próximos campeonatos aceita sim", respondeu o dirigente via mensagem de texto.

Vantagem pesa na posição dos clubes?

Um ponto a ser levantado sobre a questão é o peso da vantagem na decisão do Campeonato Mineiro. No ano passado, o Cruzeiro procurou o Atlético com o interesse de disputar os dois clássicos com as torcidas meio a meio. Na final de 2017, no entanto, a vantagem de jogar por dois empates ou por derrota e vitória pela mesma diferença de gols, além de jogar a segunda partida em casa, era do Atlético.

Washington Alves/Light Press/Cruzeiro
Último clássico com torcidas meio a meio foi em fevereiro de 2017

Há quase um ano, a diretoria alvinegra sequer quis escutar a proposta que tinha o Cruzeiro, como revelou Klauss Câmara, que na época era o diretor de futebol cruzeirense.

"A gente entendia que conseguiria sair daqui com um acordo, que conseguiríamos prover aquilo que historicamente é o futebol: finais com as grandes equipes jogando num estádio com torcida dividida, com toda a festa. Mas a equipe adversária veio preparada para dizer que a reunião era para decidir apenas a primeira partida. Em nenhum momento deu abertura para o acordo, apesar das nossas tentativas. O Cruzeiro vai cumprir aquilo que consta em regulamento", disse o então dirigente celeste após encontro na sede da Federação Mineira para debater os detalhes dos dois jogos.

Agora, a vantagem não está com o Atlético. E é o clube alvinegro que se mostra favorável ao clássico com cada uma das torcidas recebendo 50% dos ingressos. O Cruzeiro, por sua vez, já descarta um acordo para 2018.

Além da vantagem ter mudado de lado, os dois clubes possuem novos presidentes, que não estavam nos clubes na época da decisão de 2017.

Novo Mineirão teve apenas dois clássicos meio a meio

Desde que passou pela profunda reforma para receber os jogos da Copa do Mundo e também da Copa das Confederações, o Mineirão já recebeu várias vezes o maior clássico de Minas Gerais. Mas em duas oportunidades foi como antigamente, com atleticanos e cruzeirenses dividindo o estádio de maneira igual.

A primeira foi logo na reinauguração. O clássico que válido pela 3ª rodada do Campeonato Mineiro foi antecipado, por um pedido político. O então governador do estado queria ter o maior jogo mineiro para marcar a reabertura do Gigante da Pampulha. Mandante, o Cruzeiro só topou o acordo após garantir toda a renda do jogo, que passou de R$ 3,6 milhões. O público pagante foi de 52.989 torcedores e a Raposa venceu por 2 a 1.

Por iniciativa do então presidente celeste, Gilvan de Pinho Tavares, Cruzeiro e Atlético fizeram outro clássico como antigamente, com as duas torcidas. Jogo válido pela primeira rodada da Copa da Primeira Liga. Apesar do mando de campo cruzeirense, os clubes dividiram a renda, que passou de R$ 1,1 milhão, para 39.811 pagantes. O Cruzeiro venceu por 1 a 0.

Clássico meio a meio com os dias contados

Mesmo que Atlético e Cruzeiro se acertem para o futuro próximo, disputando os clássicos no Mineirão e com as duas torcidas em partes iguais, isso não deve passar do final de 2020. É para quando está prevista a inauguração do estádio do Atlético. Com a construção da Arena MRV, dificilmente o Galo jogará clássicos como mandante em outros lugares.

Além da possibilidade de fazer valer o mando de campo, o clube alvinegro vai negociar cadeiras e camarotes como forma de levantar dinheiro para a construção do equipamento. Portanto, optar por Mineirão para os clássicos pode gerar atrito com os torcedores que vão pagar R$ 25 mil pela cadeira, com direito de uso durante 15 anos.

Galo pode jogar sete vezes seguidas no Horto

Pedro Souza/Clube Atlético Mineiro
Atlético-MG pode fazer até sete jogos seguidos no Independência

Como o Cruzeiro não quer fazer a final com dois clássicos meio a meio, a tendência é que o Atlético confirme o Independência como palco do jogo deste domingo (1/4), pela ida da final do Campeonato Mineiro. Caso isso se confirme, o time alvinegro vai atuar por sete vezes seguidas no Horto.

A sequência de jogos na capital começou com o Tombense, no encerramento da primeira fase do Mineiro. Os jogos seguintes foram contra Figueirense, pela 3ª fase da Copa do Brasil, contra a URT, pelas quartas de final do Estadual, e as duas partidas contra o América-MG, pela semifinal do Mineiro. Um dos clássicos foi com o mando do Coelho.

E o calendário atleticano mostra dois jogos seguidos dentro de casa. Primeiro a final com o Cruzeiro, neste domingo (1/4), e depois o duelo com o Ferroviário, do Ceará, pela 4ª fase da Copa do Brasil. O jogo está marcado para o dia 4/4, no Independência.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos