Reafirmação e dever cumprido: Mineiro tem valor distinto para Mano e Larghi

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Bruno Cantini/Atlético-MG

    Eventual título mineiro carrega sentimentos diferentes para técnicos de Galo e Cruzeiro

    Eventual título mineiro carrega sentimentos diferentes para técnicos de Galo e Cruzeiro

Atlético-MG e Cruzeiro iniciam neste domingo (1) a primeira das duas partidas que decidem o título do Campeonato Mineiro de 2018. Na beira do gramado, estarão dois comandantes que ainda não venceram a competição, mas que vivem situações bem diferentes no momento. De um lado, Mano Menezes não sabe o que é derrota no estadual e chega com o favoritismo de um time campeão da Copa do Brasil, bastante badalado e cada vez mais entrosado. Do outro, Thiago Larghi segue correndo contra o tempo para cumprir bem a missão que lhe foi dada como interino e dar liga a uma equipe que caiu de repente em suas mãos.

No ano passado, Mano ficou no quase e caiu na finalíssima para o rival Atlético-MG. Eliminado da Sul-Americana dias depois, o treinador esteve perto de sair, mas foi bancado pela diretoria e colheu os frutos no fim do ano com um time bastante entrosado e campeão da Copa do Brasil. Hoje, vê sua equipe chegar à decisão invicta e com apenas dois gols sofridos, podendo consolidar o bom momento com a taça inédita e conquistar a hegemonia no estado.

"Um dos campeonatos mais difíceis de serem ganhos que eu já disputei, por todas as circunstâncias que estão envolvidas", respondeu o treinador, questionado sobre o valor de uma eventual conquista inédita.

Com Thiago Larghi é diferente. O auxiliar de Oswaldo de Oliveira pegou a equipe na sexta rodada e admitiu recentemente que não imaginava chegar à final mineira na condição de treinador interino. Sempre com o discurso que prega pés no chão e um passo de cada vez, o comandante vê um eventual título como um desafio cumprido na carreira, já que não se considera técnico do Atlético-MG - apesar de ter conseguido passar suas ideias para o elenco e já ser visto pelos próprios jogadores como treinador efetivo do time.

"Seria uma primeira missão cumprida no papel de representar um treinador do Atlético, que é um clube grande e que sempre entrar para vencer as competições. É me colocar como um auxiliar que deu conta do recado", disse.

Dúvidas nos dois times

Com a semana cheia de treinamentos fechados para a imprensa, as duas equipes ainda não estão na ponta da língua. No Cruzeiro, a dúvida é na zaga. Léo conseguiu o efeito suspensivo e pode retomar a vaga como titular, mas Dedé, que jogou bem as duas últimas partidas, também está à disposição e briga por uma vaga ao lado de Murilo.

No Atlético-MG, o mistério é maior. No setor ofensivo, Erik briga com Otero por uma vaga entre os 11 iniciais. Além disso, a formação do time também é segredo. O meio-campo com apenas dois volantes pode ganhar a presença de Gustavo Blanco, deixando Elias com mais liberdade para apoiar. 

ATLÉTICO-MG x CRUZEIRO

Data/Hora: 1º de abril de 2018, às 16h
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Dewson Freitas (FIFA/PA)
Assistentes: Helcio Araújo (PA) e José Ricardo Coimbra (PA)

ATLÉTICO-MG: Victor; Patric, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Adilson, Elias; Cazares, Luan, Otero (Erik ou Gustavo Blanco); Ricardo Oliveira. Técnico: Thiago Larghi.

CRUZEIRO: Fábio; Lucas Romero, Léo (Dedé), Murilo e Egídio; Ariel Cabral, Henrique; Thiago Neves, Robinho, Rafinha; Raniel. Técnico: Mano Menezes.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos