UOL Esporte Mundial Sub 20
 
02/10/2009 - 12h40

Ofensivo, Brasil liga alerta contra retrancas no Mundial sub-20

MUNDIAL SUB-20 VIRA FEBRE

  • Rodrigo Farah/UOL

    É difícil encontrar um assunto pelas ruas do Cairo que não esteja relacionado ao Mundial sub-20. Orgulhoso por sediar o evento, o povo egípcio acompanha a disputa de maneira fervorosa. Mais do que isso, os fãs do país quebram recordes de torcida nos jogos da seleção local e usam o torneio para revigorar seu gosto pelo esporte. Em apenas três partidas da competição, os "Faraós" (como é conhecida a equipe nacional) levaram um total de 196 mil pessoas aos estádios.

O Brasil teve muitas dificuldades para superar a forte marcação da República Tcheca no empate sem gols da última quarta-feira. Mesmo sem lamentar o resultado, o time verde-amarelo encarou o duelo como um modelo para os próximos jogos no Egito. Segundo a seleção, esta será uma constante ao longo de todo o Mundial sub-20.

"Precisamos melhorar a movimentação e a forma de carregar a bola de trás para frente. É normal isso acontecer quando os times enfrentam o Brasil, mas não esperávamos uma retranca tão grande. Daqui para frente não vai mudar muito, então precisamos ficar espertos com isso", destacou o goleiro Rafael, pouco testado contra a República Tcheca.

Segundo estatísticas divulgadas pela Fifa, o Brasil manteve 67% da posse de bola contra o time europeu. Além disso, a equipe conseguiu seis escanteios contra apenas um da seleção tcheca e criou mais chances de gol. Mas no fim, o domínio das ações ofensivas não foi suficiente para dar os três pontos à seleção no Grupo E.

"Agora vamos esperar a maioria dos times assim. Eles sabem que se abrirem vão levar gols, como aconteceu com a Costa Rica. Vamos conversar com o Rogério Lourenço para ver a melhor forma de furar esses bloqueios", comentou o zagueiro Dalton.

Classificado para as oitavas-de-final, o Brasil volta a campo neste sábado contra a Austrália para tentar assegurar liderança da chave. A expectativa é que o time da Oceania repita a estratégia dos tchecos para segurar o ataque do time verde-amarelo.

"Não podemos permitir que isso aconteça novamente. Precisamos manter ainda mais a posse de bola e ousar mais. Também não podemos arriscar tanto pelo meio. Temos que inovar para surpreender a Austrália", completou o meia Giuliano, destaque do time nos primeiros jogos.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host