UOL Esporte Mundial Sub 20
 
05/10/2009 - 17h02

Com disputa de meias, Brasil tenta evocar 'jogo bonito' no Mundial

  • Reuters

    Paulo Henrique Ganso é um dos cinco meias que disputam vaga na seleção pelo Mundial Sub-20

O Brasil ainda luta para consolidar sua campanha no Mundial sub-20. Porém, após duas vitórias e um empate na primeira fase, o time verde-amarelo mostrou que está apoiado em um estilo de jogo bem ofensivo, sempre com três meias na formação inicial.

Ao mesmo tempo em que segue dependente dos responsáveis pela criação, a equipe nacional vê grande disputa pela titularidade no setor. E aposta justamente nessa briga pela posição para impressionar os adversários e torcedores no Egito com o "jogo bonito".

"A disputa no meio-campo é uma constante na seleção. Sempre digo para eles não deixarem o talento de fora. Eles precisam de aplicação tática e compromisso com a equipe, mas não podem castrar o futebol que possuem. É isso o que faz a diferença no jogador brasileiro e é isso que vem chamando a atenção de todos", destacou o técnico Rogério Lourenço.

Ao todo, o Brasil conta com cinco meias em seu elenco. Nos dois primeiros jogos do Mundial, o treinador optou por três deles entre os titulares: Giuliano, Paulo Henrique Ganso e Alex Teixeira, que se dividiu entre a armação e a parceria com Alan Kardec mais à frente.

À MARGEM DO MUNDIAL

  • Rodrigo Farah/UOL

    Criança brinca na que é chamada Cidade do Lixo, lar dos catadores

Como resultado, o Brasil conseguiu envolver Costa Rica e levou a melhor por 5 a 0. No duelo contra a República Tcheca, no entanto, o time não saiu do 0 a 0, mas ainda assim criou boas chances e manteve quase 70% da posse de bola ao longo dos 90 minutos, segundo estatísticas da Fifa.

Já na última partida da primeira fase, contra a Austrália, o treinador optou por uma equipe com a maioria dos reservas, mas não alterou a formação com três meias e deu oportunidade a Boquita e Douglas Costa ao lado de Ganso. Os dois últimos fizeram dois gols na vitória por 3 a 1 sobre o time da Oceania, enquanto Ciro fechou o placar.

"Vou escolher quem achar melhor no momento para o time. O Douglas Costa e o Boquita não começaram os jogos, mas isso pode mudar. O Douglas tem muita qualidade e pode dar velocidade à equipe. Já o Boquita é um atleta mais versátil e muito inteligente", opinou o treinador.

"Essa seleção tem atletas que procuram dar alegria ao futebol, mas sem perder a objetividade. É isso o que as pessoas querem ver e o que tentamos fazer. Somos atletas jovens e tentamos jogar com o jogo bonito como falam", ressaltou o atacante Ciro.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host