Técnico do Coritiba apoia vaias da torcida: "Eu teria menos paciência"

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

  • Comunicação CFC

    Forner (D) conversa com o auxiliar Tcheco: ele também não teria paciência

    Forner (D) conversa com o auxiliar Tcheco: ele também não teria paciência

O começo do trabalho de Sandro Forner no Coritiba não tem sido fácil. Após mais um empate em casa, desta vez contra o Rio Branco (1 a 1), na segunda partida no ano, o torcedor já deu sinais de impaciência ao vaiar a atuação da equipe.

"Sinceramente, se eu estivesse no jogo hoje estaria até com menos paciência do que eles tiveram. Porque realmente não foi um jogo agradável de se ver", disse o técnico em entrevista coletiva, "Esperava que a gente estivesse rendendo um pouco melhor. Acreditava que pudéssemos estar um pouco melhores do que estamos, mas isso é realmente um trabalho que tenho que fazer".

Depois de duas partidas em casa, o Coritiba agora viaja até Francisco Beltrão para enfrentar o União. A equipe é a quarta colocada do Grupo A na Taça Dionísio Filho, o primeiro turno, com dois pontos. Já o Rio Branco fará seu primeiro jogo em casa, contra o Cascavel. Duas equipes avançam às semifinais entre as seis da chave. Cianorte (4 pontos) e Cascavel (3) estão nas duas primeiras posições. No Grupo B, a liderança é do Atlético-PR (6), seguido do Londrina (4). No primeiro turno, os times enfrentam as equipes do outro grupo.

 

UOL Cursos Online

Todos os cursos