Topo

Futebol


Com vice-campeonato, Mattos repete no Palmeiras início no Cruzeiro em 2013

Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

2015-05-04T12:00:00

04/05/2015 12h00

O Palmeiras bateu na trave na final do Campeonato Paulista, perdendo nos pênaltis para o Santos. Apesar da decepção, o desempenho do alviverde, que incluiu eliminar o Corinthians em plena Arena Corinthians, não pode ser considerado ruim. Para o elenco que chegou à final contratados nada menos do que 20 reforços – vários deles se tornaram peças importantíssimas na campanha que se encerrou na Vila Belmiro neste domingo. Nesse cenário, é impossível não apontar como um dos responsáveis o diretor de futebol Alexandre Mattos, que comandou o processo de renovação do time.

Os primeiros meses do ano Mattos no alviverde foram muito parecidos com os do executivo em 2013, no Cruzeiro.No clube mineiro, a montagem de um grande elenco foi bem sucedida, mas também não rendeu um troféu imediato.

Foram 14 reforços logo no começo do ano em Minas, dentre eles Egidio, Ricardo Goulart e Everton Ribeiro, destaques nos dois anos espetaculares que se seguiram. No Campeonato Mineiro de 2013, o Cruzeiro também bateu na trave: foi vice-campeão ao perder para o Atlético-MG na final.  Depois, mais reforços vieram, e o resultado é conhecido: dois brasileiros consecutivos e um estadual em 2015.

No alviverde, Victor Hugo, Victor Ramos, Lucas, Zé Roberto, Gabriel, Arouca, Dudu, Robinho e Rafael Marques se tornaram titulares e foram decisivos na conquista do Paulistão. Leandro Pereira, apesar de passar a maior parte da primeira fase entre os reservas, apareceu fazendo gols na hora do mata-mata. Cleiton Xavier, Alan Patrick e Kelvin foram utilizados vindo do banco de reservas. Apenas Ryder Matos, Andrei Girotto, Aranha, o lesionado João Paulo e o ainda não inscrito Egidio tiveram as oportunidades limitadas.

Assim como fez no Cruzeiro de 2013, Alexandre Mattos montou um time quase da estaca zero. Nos primeiros meses de trabalho, o resultado foi exatamente o mesmo: um vice-campeonato estadual.

“Surpreende porque passamos por uma mudança muito grande, inclusiva na comissão técnica. Querendo ou não, era difícil falar que iriamos brigar pelo título paulista, sempre deixamos claro que estaríamos bem para o Brasileiro. Mas queríamos isso e atingimos o objetivo. Deu certo mais rápido do que achávamos" disse Rafael Marques, um dos 20 reforços, sobre a chegada à final.

É cedo para afirmar até onde o Palmeiras pode chegar em 2015. É possível, sim, dizer que o início de trabalho de Alexandre Mattos no alviverde lembra demais o que teve no Cruzeiro em 2013. Se o resto da história seguisse nessa direção, o futuro para o torcedor palmeirense não teria espaço para tristezas.
 

Mais Futebol