Na reestreia de Lugano, companheiro de zaga marca e São Paulo vence

Do UOL, em São Paulo

Se o torcedor são-paulino reivindicava disposição dos jogadores, deve ter ficado satisfeito com o que viu neste domingo, no Pacaembu. "Pilhado", o São Paulo suou, mas venceu o Rio Claro por 1 a 0 e estancou, por ora, a crise que assola o clube.

Sem Michel Bastos, vetado por Edgardo Bauza, coube a Denis assumir a faixa de capitão. O meia, aliás, foi alvo de protestos da torcida nas cercanias do estádio. Alem dele, Ataíde gil Guerreiro e Gustavo de Oliveira, vice de futebol e diretor executivo do clube, respectivamente, também não foram poupados.

Em campo, um aditivo moral: o zagueiro Lugano, 35 anos, fazia sua reestreia pelo time onde é ídolo. Ainda longe de sua melhor forma, o zagueiro uruguaio teve atuação regular. 

No primeiro tempo, pouca inspiração. Mena, com um disparo de fora da área, protagonizou o maior lance de perigo. O goleiro Lucas Frigeli fez linda defesa. 

E se com a bola no chão estava difícil, o negócio foi apostar na jogada aérea. Logo aos 6 minutos da etapa complementar, Carlinhos cobrou falta da direita e Rodrigo Caio, de cabeça, mandou para o fundo das redes.

Menos pressionado, o São Paulo diminuiu o ritmo e passou a administrar as ações. O Rio Claro, em vão, tentava furar o bloqueio tricolor, especialmente com Romarinho.

Com a vitória, o São Paulo segue na terceira posição do Grupo C, agora com sete pontos, dois a menos que Ferroviária e Audax. Já o Rio Claro não se encontra nesse Paulistão. O time segura a lanterna do Grupo D, com quatro pontos.

Na próxima rodada, o São Paulo recebe o Novorizontino, na quarta. No mesmo dia, o Rio Claro visita o Oeste. 

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 X 0 RIO CLARO

Data e horário: 21 de fevereiro de 2016, às 17h (de Brasília)
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Árbitro: José Cláudio Rocha Filho
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Diogo Correia dos Santos
Público: 7.709 pessoas
Renda: R$ 315.000,00
Cartões amarelos: Lugano (São Paulo); Léo Costa, Mauricio e Thiago Cristian (Rio Claro)
Gols: Rodrigo Caio, aos 6 min do 2º tempo

SÃO PAULO: Denis; Bruno, Lugano, Rodrigo Caio e Mena; Hudson, Thiago Mendes, Carlinhos (João Schmidt), Ganso (Rogério) e Centurión (Wesley); Calleri.
Técnico: Edgardo Bauza

RIO CLARO: Lucas Frigeri; Luis Felipe, Alex Silva, João Gabriel e Felipe Saturnino; Maurício, Jean Patrick (Elsinho), Léo Costa (Fabricio) e Thiago Cristian (Joãozinho); Lucas Xavier e Romarinho.
Técnico: Sergio Guedes

FASES DO JOGO

  • Primeiro tempoPressionado, o São Paulo buscou o ataque desde o início de jogo. O problema, mais uma vez, residia na conclusão das jogadas. Centurión errava passes básicos, enquanto Ganso e Calleri paravam na cerrada marcação do Rio Claro. Mesmo com domínio territorial, o Tricolor chutou a gol pouco mais que o rival (6 a 4). A melhor chance dos donos da casa veio aos 25 minutos, com Mena, que disparou de primeira, da entrada da área, e exigiu grande defesa de Lucas Frigeli. No rebote, Centurión esbarrou na zaga.
  • Segundo tempoO melhor cenário para o São Paulo era achar um gol logo nos primeiros minutos do segundo tempo. E ele veio. Aos 6, Carlinhos alçou para a área e Rodrigo Caio se antecipou a Alex Silva para anotar de cabeça. Com vantagem no marcador, o Tricolor cadenciou o jogo. Com a saída de Ganso, o time penou para armar jogadas de ataque. Rogério, que entrou no lugar do camisa 10, foi o mais ativo da linha de frente, mas não levou perigo de fato ao gol de Lucas Frigeli.

DESTAQUES

  • Ovacionado até na truculênciaA torcida do São Paulo passou boa parte do jogo aclamando Lugano. Sem comprometer, o uruguaio levou amarelo apos obstruir um contra-ataque do Rio Claro nos acréscimos do segundo tempo. O zagueiro, claro, foi aplaudido pelo lance.
  • Público frustranteO jogo marcava a reestreia de Lugano pelo São Paulo após mais de nove anos. Um chamariz e tanto, mas que parece não ter surtido o efeito necessário nas arquibancadas do Pacaembu. O duelo contra o Rio Claro registrou o pior público do Tricolor como mandante em 2016: apenas 7.706 pessoas.

Melhores

  • Rodrigo Caio, São PauloDepois de ter sido alvo de críticas do assessor da presidência são-paulina, Rodrigo Caio mostrou seu valor. Defensivamente, foi o jogador mais efetivo do São Paulo. No segundo tempo, marcou o gol da vitória com uma bela cabeçada.
  • Romarinho, Rio ClaroO camisa 11 do Rio Claro respondeu por quase todas as jogadas de perigo do time. Habilidoso, foi bem no enfrentamento contra os zagueiros e ainda colocou Denis para trabalhar. Pena para ele que seus companheiros de ataque nao corresponderam.

Piores

  • Centurión, São PauloCenturión ficou devendo mais uma vez à serviço do São Paulo. O argentino fez um péssimo primeiro tempo, errando passes e cruzamentos. Famoso na Argentina pela agilidade em superar os zagueiros, foi presa fácil para os marcadores do Rio Claro. Acabou sacado aos 22 minutos do segundo tempo para a entrada de Wesley.

Melhores notas

  • São Paulo
  • Rio Claro
Avaliação
dos usuários
do Placar UOL
8
7,0
Lugano
8
7,0
Alex Silva
 
7
6,7
João Schmidt
7
7,0
Lucas

UOL Cursos Online

Todos os cursos