SP 'blinda' Michel Bastos e tenta amenizar polêmica com discurso de apoio

Do UOL, em São Paulo

  • AFP PHOTO / Miguel SCHINCARIOL

    Michel Bastos volta ao time do São Paulo após "castigo"

    Michel Bastos volta ao time do São Paulo após "castigo"

A semana começa amena para o São Paulo. Afinal, nada melhor do que uma vitória para colocar panos quentes na crise. No último domingo, o time tricolor não esbanjou bom futebol, mas bateu o Rio Claro por 1 a 0, no Pacaembu, pela quinta rodada do Campeonato Paulista. Em campo, duas novidades: Lugano, que voltou após quase dez anos, e Michel Bastos, capitão até a última semana e vetado de surpresa por Edgardo Bauza.

Alvo sistemático de protestos por parte da torcida, Michel teve uma semana atribulada. Ele foi o mais criticado pelo "pacto de silêncio" dos jogadores são-paulinos após a derrota ante o The Strongest-BOL, na última quarta, pela Libertadores. No sábado, Bauza anunciou que Michel não iria a campo neste final de semana. O resultado ante o Rio Claro, entretanto, serviu para o time são-paulino "limpar a barra" do camisa 7.

Longe do Pacaembu, o atacante não teve de responder às várias perguntas sobre as polêmicas da semana. Logo depois do jogo, técnico, jogadores e até dirigente afinaram o discurso pró-Michel. Ainda nos vestiários, Lugano relativizou a discussão com o meia.

"Acho que a gente (o São Paulo) é campeão do mundo em fazer tormenta em copo d'agua. Não teve nada demais. Os resultados foram ruins. Foi uma semana normal para os jogadores. A gente tem que ser esperto e falar o que tem que falar e passar a melhor informação possível para fora. Com o resultado ruim, tudo volta como uma bomba para nós. Faz parte de qualquer grande clube", disse o uruguaio. 

Denis, que foi o capitão na ausência de Michel, enalteceu a presença do meia na sequência da temporada. "Não sabia, fui pego de surpresa. Mas o Michel é importante para a equipe. Ele voltará a treinar essa semana e tenho certeza de que vai nos ajudar muito".

Vice de futebol, Ataide Gil Guerreiro foi contundente: "Quero ver o Michel jogando muito ainda. Tenho certeza de que na quarta-feira ele estará jogando normalmente". Era a deixa para Bauza colocar um ponto final na questão. "A decisão de não escalar Michel Bastos foi técnica. Temos um jogo na quarta e ele certamente será titular".

O recado que dirigentes e elenco tricolor quiseram passar foi dado: Michel terá apoio incondicional dentro do São Paulo. Fora, fica a expectativa para o seu retorno ao time titular e ver se a torcida também dará este incentivo ao jogador ou seguirá criticando fortemente o meio-campista. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos