Santos cria pouco, esbarra na defesa do Red Bull Brasil e perde a primeira

Do UOL, em São Paulo

A invencibilidade do Santos em 2016 chegou ao fim. Neste domingo, em São José dos Campos, o time até teve mais posse de bola do que o Red Bull Brasil durante os 90 minutos, mas esbarrou na boa marcação, deu espaços para o adversário e acabou sendo derrotado por 2 a 0. 

O primeiro gol saiu aos 37 minutos do primeiro tempo, quando um erro de Serginho deixou a bola no pés de Roger, que tocou para Thiago Galhardo balançar as redes. O Santos bem que tentou reagir. Continuou com maior volume, mas também seguiu tendo dificuldade para achar os espaços e viu Saulo trabalhar bem nas vezes em que foi exigido.

Qualquer chance de conquistar pelo menos um ponto acabou aos 42 do segundo tempo, quando Roger aproveitou uma sobra de bola dentro da área e fez o segundo do Red Bull Brasil. 

Apesar do tropeço, o Santos continua na liderança do Grupo A do Paulista. São 12 pontos em sete rodadas, um a mais do que o São Bento. Já o Red Bull Brasil chega a 10 pontos e sobe para o terceiro lugar do Grupo D, um ponto atrás do Água Santa e sete atrás do Corinthians.

O próximo compromisso do Santos será o clássico contra o Corinthians, que acontecerá no domingo, na Vila Belmiro. Também no domingo, o Red Bull Brasil enfrentará o São Bento. 

FICHA TÉCNICA
RED BULL BRASIL 2 X 0 SANTOS

Local: Estádio Martins Pereira, em São José dos Campos (SP)
Data: 28 de fevereiro de 2016, domingo
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araujo
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse e Fabio Rogerio Baesteiro
Público: 6.191 pagantes
Renda: R$ 293.970,00
Cartões amarelos: Luan, Dráusio, Breno Lopes (Red Bull Brasil)
Gol: Thiago Galhardo (Red Bull Brasil) aos 38 do 1º tempo; Roger (Red Bull Brasil), aos 42 do 2º tempo

RED BULL BRASIL: Saulo; Everton Silva, Anderson Marques, Diego Sacoman, Willian Rocha (Misael); Luan, Maylson, Thiago Galhardo (Arthur Caculé); Edmilson (Dráusio), Breno Lopes e Roger
Técnico: Maurício Barbieri

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique, Zeca; Thiago Maia (Vitor Bueno), Renato, Lucas Lima, Serginho (Patito Rodriguez); Gabriel e Ricardo Oliveira (Joel) 
Técnico: Dorival Júnior

Fases do jogo

  • Primeiro tempoO Santos teve mais a bola nos pés desde o começo, mas esbarrou no bom posicionamento do Red Bull Brasil na hora de se defender. A boa marcação encurtou os espaços na articulação de jogadas do sistema ofensivo santista. A aposta era clara: se segurar atrás e aproveitar um contra-ataque ou um erro do outro lado para tentar chegar ao gol. Foi o que aconteceu. Aos 38 minutos, um passe errado de Serginho acabou nos pés de Roger, que invadiu a área e tocou para Thiago Galhardo balançar as redes. O Red Bull Brasil até chegou a fazer o segundo com um gol de cabeça de Anderson Marques, mas o árbitro marcou impedimento e invalidou o lance, que gerou muita reclamação dos jogadores da equipe, que alegaram que o toque anterior à finalização foi dado por Ricardo Oliveira.
  • Segundo tempoCom Joel e Patito Rodriguez nos lugares de Ricardo Oliveira e Serginho, o Santos conseguiu criar uma boa chance logo no início do segundo tempo, com Gabriel obrigando o goleiro Saulo a aparecer com boa defesa. Mas logo a partida voltou a apresentar o mesmo cenário da primeira etapa: as boas trocas de passes e as triangulações santistas sendo contidas pelo sistema defensivo do Red Bull Brasil. Para tentar aumentar o poder de criação, Dorival Junior resolveu arriscar tirando Thiago Maia para colocar Vitor Bueno. Não deu muito certo. O time continuou encontrando poucos espaços e insistiu vez ou outra em bolas levantadas na área que não surtiram efeito. Quem balançou as redes foi o Red Bull Brasil, com Roger, já no fim, para matar o jogo.

Destaques

  • Velho conhecidoO goleiro do Red Bull Brasil já defendeu o Santos. Trata-se de Saulo, que passou pela Vila Belmiro entre 2004 e 2006.
  • Ricardo OliveiraO jogo contra o Red Bull Brasil foi o 100º de Ricardo Oliveira com a camisa do Santos. Ao longo de todas essas partidas, o atacante soma 60 gols marcados.

Melhores

  • Roger, Red Bull BrasilEm um time que se destacou pelo bom trabalho coletivo na marcação, o atacante foi decisivo ao começar a jogada que resultou no gol de Thiago Galhardo e que fez o segundo.

Piores

  • Serginho, SantosSofreu com a boa marcação do adversário e pouco se mostrou eficiente na criação de jogadas. Além disso, cometeu o erro no lance que originou no gol do Red Bull Brasil no primeiro tempo. Foi substituído no intervalo.

Próximos Jogos - Santos

  1. Coritiba CTB
    Santos SAN
  2. Cruzeiro CRU
    Santos SAN
  3. Santos SAN
    Corinthians COR
  4. Barcelona-EQU BGU
    Santos SAN
  5. Botafogo BOT
    Santos SAN

UOL Cursos Online

Todos os cursos