Rodriguinho deixa de ser 'patinho feio' e vira dono da bola no Corinthians

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

    Corintianos celebram gol feito por Rodriguinho nos acréscimos de vitória sobre o Oeste

    Corintianos celebram gol feito por Rodriguinho nos acréscimos de vitória sobre o Oeste

No Corinthians que se desenha para toda a temporada 2016, o toque de bola consciente de Rodriguinho é uma das novidades. Autor do gol da vitória sobre o Oeste no último sábado, o meia ratificou o que os primeiros jogos do ano indicaram: ele está entre aqueles em quem Tite confia para a reformulação do campeão brasileiro. 

Rodriguinho está entre os três jogadores mais utilizados em 2016. Dos oito jogos da equipe, ele atuou em 90 minutos por seis e veio do banco no intervalo em outro. Foi preservado apenas uma vez. É neste momento, na avaliação de Tite, capaz de executar as três funções centrais do meio no sistema 4-1-4-1. 

"Eu era um armador (ao longo da carreira). Agora, pelo esquema, é um pouco diferente", conta. "Os meias fazem de área a área, eu tive que me adaptar um pouco e pelo esquema competitivo que o Tite tem, a gente tem que marcar um pouco mais. Tenho conseguido me adaptar bem", explicou. 

Dados do Footstats mostram que, em média, Rodriguinho é o segundo melhor corintiano em fundamentos importantes. Ele é o vice-líder em finalizações, em dribles, em faltas sofridas e, principalmente, em passes certos. São 46,2 por jogo, o que mostra ser, ao lado do líder Bruno Henrique, quem dá o ritmo à equipe em vários momentos. 

"Me sinto feliz de poder estar sendo importante no começo de temporada. Espero manter o nível para que possa jogar o ano inteiro. Nas outras passagens, eu não tive tantas oportunidades como agora. Fico feliz de ter ganhado a confiança do Tite e estar ajudando a equipe", contou o jogador contratado em 2013 e que havia saído do Corinthians já no início do ano seguinte sem marcar nenhum gol. 

Hoje, a adaptação feita com ele é uma das inspirações para Tite tentar repetir a dose com Guilherme. O meia ex-Atlético-MG é quem se imagina possa fazer a função de Renato Augusto no meio-campo que mantém a configuração de 2015. Se adaptar a jogar mais distante da área e a recompor mais rápido sem a bola são papéis que Rodriguinho, desde a reta final do ano passado, mostra ter concebido bem. 

Reserva no Brasileirão, ele atuou como substituto de Elias em jogos emblemáticos da campanha do título, como as vitórias por 6 a 1 sobre o São Paulo e 3 a 0 sobre o Atlético-MG em Belo Horizonte. Hoje, cada vez mais consolidado, também pode atuar pelo lado esquerdo, como fazia Renato Augusto, ou até em momentos pontuais ser o volante mais recuado. Foi assim que Tite apostou em Rodriguinho nos minutos finais do empate contra o São Bento na quarta passada. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos