Derrota expõe três "problemas futebolísticos" que atrapalham São Paulo

Do UOL, em São Paulo

Depois de perder para o São Bernardo em casa, a quarta da temporada, o técnico Edgardo Bauza foi questionado se o São Paulo tem problemas emocionais. Ele negou prontamente, disse que o time sofre com "problemas futebolísticos" e não quis se alongar. Mas a derrota deste sábado expôs quais são esses defeitos do time em 2016. Veja quais, nas palavras já ditas do próprio técnico, são estes desafios que o time enfrenta neste começo desta temporada. 

1 - a falta de efetividade do ataque incomoda

O problema mais gritante é o ataque, que já tem sido alvo de reclamações de Bauza desde o mês passado. "Creio que em linhas gerais tem faltado efetividade. Temos controlado os jogos, mas está nos custando muito fazer os gols. Este tem sido um dos maiores problemas", criticou, após perder para a Ponte Preta.

Em 2016, foram marcados 13 gols em 11 jogos oficiais, com muitas chances desperdiçadas e jejuns dos principais atacantes. Jonathan Calleri, que chegou como sensação nos dois primeiros jogos, completa um mês sem gols neste domingo. Ele perdeu um pênalti no começo do jogo contra o São Bernardo e simbolizou o fracasso dos atacantes são-paulinos. Alan Kardec e Kieza ainda nem balançaram as redes em 2016. E Centurión, tratado como titular absoluto, não faz gol desde setembro do ano passado.

2 - o físico preocupa. E pode atrapalhar ainda mais contra o River

Outro problema do São Paulo é a parte física. O time precisou acelerar sua preparação no começo do ano por ter que disputar a 1ª fase da Copa Libertadores, contra o César Vallejo. Agora tem sofrido para lidar com a sequência de jogos no Paulistão e na competição sul-americana. Normalmente os jogadores dizem que estão sempre dispostos a entrar em campo, mas alguns estão até pedindo um rodízio entre titular e reservas: "acredito que o rodízio no começo de temporada tem de existir. Os jogos no interior são muito desgastantes, porque os rivais se preparam antes", pediu Rodrigo Caio. 

Esse problema ficou evidente no jogo contra o São Bernardo por causa da queda de rendimento no 2º tempo. E isso pode afetar a partida contra o River Plate, na próxima quinta-feira, pela Copa Libertadores: "a equipe não estava bem com a reação que o São Bernardo vinha tendo. Pode ser o acúmulo de minutos. Temos um corpo médico preparado para que nos ajude antes da partida contra o River. Veremos como chegaremos e, entre todos, vou escolher os melhores".

3 - é preciso manter a organização tática durante o jogo

O terceiro "problema futebolístico" é mais grave, mas Bauza acredita que está sob controle. É a má organização tática da equipe em campo. Apesar do time quase sempre ser escalado no 4-2-3-1, o rendimento tem sido muito irregular. Rogério inclusive já reclamou das ideias de Bauza: "sou funcionário do clube e tenho que jogar, mas às vezes fico perdido no meio".

Contra o São Bernardo essa desorganização atrapalhou demais: "uma equipe que joga mal tem mais possibilidades de perder. E uma equipe que se desorganiza, tem muito mais. Esse foi o ponto principal para a gente perder", declarou Bauza, já pensando no próximo jogo novamente: "essa derrota me dói pois terminou com a equipe desordenada. Vamos ver se teremos mudanças, algo para para que a equipe possa manter a ordem", prometeu.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos