Ele começou marcando Neymar. E hoje tenta voltar ao Santos contra o Santos

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Vipcomm

    Eli Sabiá defendeu o Santos em 2009 e hoje enfrenta o ex-clube com a camisa do Água Santa

    Eli Sabiá defendeu o Santos em 2009 e hoje enfrenta o ex-clube com a camisa do Água Santa

O duelo entre Santos e Água Santa neste sábado, às 18h30 (de Brasília), no Pacaembu, pela nona rodada do Campeonato Paulista, vale muito para um jogador em particular – o zagueiro Eli Sabiá. O defensor vestiu a camisa santista em 2009, no mesmo período em que Neymar iniciou a sua trajetória como atleta profissional na Vila Belmiro.

Eli Sabiá tinha 20 anos na época e iniciou sua carreira com a função de parar Neymar nos treinamentos do Santos, no CT Rei Pelé. Apesar de reconhecer que marcou um Neymar mais acanhado, o defensor ressalta que marcar o atual camisa 11 do Barcelona diariamente contribuiu para a sua carreira.

"Jogamos juntos no Santos. Fiz 24 jogos e ele deve ter atuado uns 20 comigo. Já dava para perceber que ele era diferenciado. Quando cheguei, tinha muito zagueiro, então cheguei para compor elenco. Enfrentei o Neymar em muitos coletivos, na marcação, sempre foi muito complicado. Ele não estava solto como hoje, ele tinha que mostrar serviço, mas era sempre muito complicado, pois ele é fora do normal. Isso contribuiu muito", afirmou Eli Sabiá ao UOL Esporte.

Eli Sabiá não esconde o desejo de voltar a vestir a camisa de um grande clube do futebol brasileiro. A equipe santista seria uma espécie de prioridade. Sabiá sabe que o time de Dorival Júnior começou o ano com carências no setor defensivo e quer mostrar serviço neste sábado para chamar a atenção do treinador.

"O pensamento meu é aparecer, chamar a atenção. O Santos me acolheu bem, me sinto bem em Santos. Infelizmente estava no São Caetano quando havia a carência no Santos no setor no início do ano, não tinha como aparecer, mas agora vou jogar contra e sempre tem alguém vendo", disse.

Eli Sabiá chegou ao Santos por indicação de Vagner Mancini, mas teve mais espaço no time titular após a chegada de Vanderlei Luxemburgo. O zagueiro terminou a temporada como titular, mas lembra que sua renovação não ocorreu por causa da troca de diretoria. Em dezembro de 2009, Luiz Alvaro de Oliveira Ribeiro assumiu a presidência santista no lugar de Marcelo Teixeira, e decidiu não comprar os direitos econômicos de Sabiá, que pertenciam ao Paulista, de Jundiaí.

"O problema foi a troca de presidente. O Luis Alvaro queria apenas renovar o empréstimo para eu ser avaliado mais um ano, mas o Paulista não aceitou. Foi ruim, já estava adaptado, eu queria ficar, pois minha carreira hoje seria outra", lamenta.

Após deixar o Santos, o zagueiro foi emprestado ao Atlético-PR, mas ficou grande parte da carreira defendendo o São Caetano. No início deste ano, ele aceitou a transferência para o Água Santa em busca de visibilidade no Campeonato Paulista.

"Minha ideia é fazer um grande Paulistão, é a maior vitrine dos estaduais, e depois jogar a Série A ou B do Campeonato Brasileiro. Venho sendo titular desde o começo do Paulista, não saí nenhum jogo. E agora contra o Santos é um bom momento de fazer uma grande partida", concluiu.

Santos não terá Lucas Lima contra o Água Santa

A vida de Eli Sabiá ficará menos complicada neste sábado, pois o Santos não contará com a sua principal estrela – o meia Lucas Lima. O "maestro santista" cumpre suspensão e será substituído por Rafael Longuine contra o Água Santa.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos