Meia do SP explica novo esquema: "Bola não vai passar só pelo Ganso"

Guilherme Palenzuela

Do UOL, em São Paulo

  • Marcello Zambrana/Agif

O São Paulo tem dez desfalques para a partida desta quarta-feira contra o Botafogo, pelo Paulistão, e vive momento delicado, sem vencer há cinco partidas. A situação fez com que o técnico Edgardo Bauza mudasse time e mexesse na formação tática pela primeira vez no ano para encarar o jogo no Pacaembu. O 4-2-3-1 habitual dará lugar ao 4-3-2-1, com três volantes e dois meias - Ganso e Daniel.

Para Daniel, a mudança aproxima os jogadores de meio de campo, promove a posse de bola e os passes curtos e não sobrecarrega Ganso: "Ganso, pela experiência que tem, ele sempre procura orientar a todos que estão do lado dele. Gostei muito de atuar do lado dele, acho que pode ser bom tanto pra mim quanto pra ele. Acho que o time ganha mais opções ofensivas, a bola não tem que passar só por ele pra que chegue ao ataque. Acho que aumentou o repertório de jogadas ofensivas do time", falou.

Edgardo Bauza treinou com: Denis; Caramelo, Lugano, Maicon e Bruno; Hudson, João Schmidt e Carlinhos; Daniel e Ganso; Calleri. Os desfalques do São Paulo são os lesionados Renan Ribeiro (goleiro), Breno (zagueiro), Wesley (volante), Michel Bastos (meia), Wilder e Rogério (atacantes); o suspenso Thiago Mendes (volante); e Eugênio Mena, Rodrigo Caio e Lyanco, convocados para as seleções do Chile, Brasil olímpica e Sérvia sub-19, respectivamente.

"Com essa formação a gente tem mais jogadores, favorece o estilo de jogo de posse porque tem jogadores bem próximos. Jogadores de qualidades ofensivas, como Carlinhos. Eu também posso me juntar ao ataque junto com o Calleri", falou Daniel. "Acredito que no esquema que a gente estava jogando antes os dois pontas ficam muito abertos, com esse novo esquema o time joga mais junto", disse. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos