O que faz Romero crescer em 2016 e virar sombra em titulares do Corinthians

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

    Ángel Romero tem chance de ser titular em dia de equipe mista

    Ángel Romero tem chance de ser titular em dia de equipe mista

Tite optou por cinco reservas e seis titulares para encarar o ainda vivo Novorizontino neste domingo, em Itaquera. Se para o Campeonato Paulista em si o jogo (16h de Brasília) não vale nada ao já líder Corinthians, para os jogadores é a possibilidade de ganhar lugar em um calendário marcado por jogos decisivos a partir das partidas seguintes. Nesse sentido, quem mais leva esperança de ganhar espaço é Ángel Romero. 

Autor de sete gols na temporada (cinco em jogos oficiais e dois na Flórida Cup), o paraguaio é reserva mas mesmo assim é o artilheiro do Corinthians em 2016. Com Lucca em momento de instabilidade nas partidas mais recentes e uma arrastada negociação para um novo contrato, Romero se torna a principal ameaça à titularidade dele. Foi justamente essa troca que Tite realizou na última quarta-feira e que treinou no sábado, com Ángel pelo lado esquerdo. 

A evolução de Romero a ponto de se tornar um jogador importante para o grupo está ligada a alguns fatores, e o mais importante deles, provavelmente, é Tite ter encontrado o espaço ideal. Essa mudança demorou, e por praticamente toda a temporada 2015 o paraguaio foi o reserva imediato de Vagner Love. Exatamente no clássico contra o São Paulo, na antepenúltima rodada do Brasileirão, o treinador corintiano alcançou essa conclusão. 

Durante o jogo marcado pela goleada de 6 a 1, Romero iniciou como centroavante, mas inverteu de posicionamento na medida em que Danilo sofria para acompanhar o lateral esquerdo Carlinhos. Já na ponta direita, o paraguaio fez dois gols, sofreu um pênalti e mudou, a partir daquele dia, seu status dentro do clube. 

O fato de ter recusado diversas propostas de transferência reforçou a ideia de que era um jogador com desejo de triunfar no Corinthians e que soube esperar oportunidades. Tite, então, deu a ele a chance de iniciar 2016 na equipe principal, absolutamente retalhada pela venda de seis jogadores titulares. Sempre pelos lados do campo, com liberdade para invadir a área em velocidade e arrematar, Romero se achou. Recentemente, o técnico foi questionado sobre a chance de usar o paraguaio contra o jejum de gols de André e Luciano, mas ratificou: não quer mais ele naquela função. 

Além do desmanche e da descoberta do melhor posicionamento, Romero também se sente mais à vontade no clube em 2016 pela chegada de outro paraguaio. Incansável defensor da contratação do irmão gêmeo Óscar Romero, o que não se concretizou, ele ganhou um compatriota de vestiário na aquisição do zagueiro Fabián Balbuena. "Os estrangeiros se sentem muito sozinhos no Brasil, e o Balbuena virou um companheiro do Ángel. Eles estão sempre juntos e acho que isso fez bem para os dois", explica Mauro da Silva, observador técnico alvinegro. 

Curiosamente, nas duas partidas recentes em que o Corinthians usou time misto, como fará neste domingo, Romero e Balbuena foram titulares e balançaram as redes. Foi assim no 4 a 0 sobre o Linense (dois gols do atacante e um do zagueiro) e no 2 a 1 contra a Ponte Preta (um gol de cada). Será que a dose se repete em Itaquera?

O Corinthians treinado por Tite e com 32 pontos jogará com: Walter, Fagner, Yago, Balbuena e Uendel; Bruno Henrique; Danilo, Elias, Guilherme e Romero; Luciano. 

O Novorizontino, que tem 21 pontos, se classifica em caso de vitória e pode eliminar o Palmeiras, atuará com: Veloso; Domingues, Jéci e Luizão; Cléo Silva, Fahel, Michel, Pedro Carmona e César; Luiz Araújo e Roberto. O treinador é o ex-centroavante corintiano Guilherme Alves. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos