Adversário do Corinthians é pior do interior, tem "matador" e parou grandes

Do UOL, em São Paulo

O Red Bull Brasil perdeu para o Ituano neste domingo e ficou classificado como pior time do interior entre os oito classificados para as quartas de final do Campeonato Paulista. Mas é melhor o Corinthians não subestimá-lo por isso no mata-mata do próximo final de semana. O time da Campinas tem o artilheiro da competição, Roger, jogadores experientes, um técnico jovem com novas ideias e já parou três times grandes de São Paulo.

Logo na estreia, o Red Bull já enfrentou o São Paulo e empatou por 1 a 1. Depois vieram as vitórias: bateu o Santos por 2 a 0 em Campinas, tirando a invencibilidade do Peixe na 7ª rodada. E por fim colocou o Palmeiras em crise com uma vitória por 2 a 0 em pleno Pacaembu, no terceiro jogo de Cuca no comando do alviverde.

Mas nem tudo deu certo no Red Bull. É fácil identificar por que ele foi o pior time do interior: o sistema defensivo é o ponto fraco. São 22 gols sofridos em 15 jogos, com péssimas atuações em algumas partidas: perdeu por 3 a 0 para Ponte Preta e Ferroviária, por exemplo. Isso gera muita instabilidade no time, que começou mal no Paulista, teve uma boa arrancada depois e terminou a primeira fase alternando vitórias e derrotas.

Mas se a defesa é fraca, a solução é atacar. E o Red Bull tem contado com um grande destaque, o centroavante Roger. Sim, é aquele que já passou por Ponte Preta, São Paulo, Palmeiras, Sport, Fluminense, Vitória, Bahia, Atlético-PR e outros. Ele tem 11 gols marcados e está disparado na artilharia do Paulista. Entre os jogadores dos times que seguem vivos no torneio, quem está mais perto é Alecsandro, do Palmeiras, com sete gols.

Mas Roger nunca foi o tipo de atleta que se destaca sozinho. Ele precisa de um time que saiba jogar para ele e é exatamente isso que acontece no Red Bull. Thiago Galhardo, ex-Botafogo e Coritiba, é o principal meia do time. Os atacantes Misael, ex-Vasco, e Edmilson, ex-Palmeiras e Vasco, também ajudam o setor ofensivo. E o elenco tem outros atletas com passagens por times grandes: Saulo, ex-Santos; Diego Sacoman, ex-Corinthians; Maylson e Willian Magrão, ambos ex-Grêmio.

O curioso é que o comandante desse time tão rodado é um técnico jovem: Mauricio Barbieri tem apenas 35 anos e está no Red Bull desde novembro de 2013. Ele já fez estágio em clubes europeus e é uma importante aposta da diretoria, que renovou contrato e deu respaldo a ele mesmo após o fracasso na Série D do ano passado. 

Aliás, esse é o primeiro grande objetivo do Red Bull no Campeonato Paulista: conquistar uma vaga na quarta divisão brasileira de novo. Assim, no 2º semestre o time teria a chance de subir para a Série C, o que lhe daria calendário garantido durante todo o ano de 2017. Mas para isso o Red Bull precisa ser o primeiro ou segundo melhor time do interior no Campeonato Paulista. Será um grande desafio alcançar isso tendo que passar pelo Corinthians, que teve a melhor campanha geral, mas é melhor não duvidar do "Toro Loko".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos