Sensação do Audax, Tche Tche agradou Tite e veio de torneio de supermercado

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação/Audax

    Danilo Tche Tche é destaque do Audax no Paulistão

    Danilo Tche Tche é destaque do Audax no Paulistão

Danilo Neves está no Audax desde 2006, mas é com o apelido Tche Tche que ele, agora aos 23 anos, se tornou uma das referências do surpreendente semifinalista do Paulistão. É quase sempre assim que ele é chamado pelos colegas de clube, menos pelo treinador Fernando Diniz. 

"Às vezes, o Diniz fica bravo e me chama de Danilo", brinca Tche Tche, que às 18h30 (de Brasília) deste sábado vai a campo na Arena Corinthians, contra a equipe dirigida por Tite, para decidir um lugar na final do Paulistão. 

É justamente nas mãos do temperamental e ousado Diniz que ele passou a ser, por exemplo, um dos cinco principais passadores do Campeonato Paulista. Tche Tche, que também tem o drible fácil como uma de suas principais virtudes, tem a marca do Audax em seu DNA como jogador. Foi descoberto em um torneio de supermercado. 

"Eu morava em Guaianases, na zona leste, e jogava futsal no Juventus da Mooca. Meu pai me inscreveu na Supercopa Compre Bem. Fiz no primeiro ano, não passei. Mas, no segundo ano, acho que eram 15  mil moleques e ficamos só três ou quatro. Era dividido em várias etapas. Primeiro, eles faziam uma avaliação, depois se formavam times e a última fase era no CT do Pão de Açúcar", recorda Tche Tche.

Aprovado aos 14 anos, ele passou a ser jogador do clube de futebol que se chamava Pão de Açúcar e foi todo formado como atleta no centro de treinamento localizado na Marginal Pinheiros, o mesmo onde surgiram nomes como Paulinho, ex-Corinthians e hoje na China, e Rafael Carioca, do Atlético-MG. Em 2011, cansado de ter o nome ignorado, o clube passou a se chamar Audax. Dois anos depois, o Grêmio Osasco comprou a equipe, que havia conseguido vaga na elite paulista. Assim, o acesso caiu no colo do time presidido por Vampeta. 

A essa altura, Danilo já havia recebido o apelido que marca seu início de história no futebol. "Um amigo que jogava comigo, o Alex, me falou que eu me parecia com um menino chamado Tche Tche. Todo mundo começou a me chamar assim e aí ficou", conta. 

No último ano, depois de se destacar pelo Audax Osasco, ele teve a oportunidade de se transferir, mas não conseguiu jogar regularmente na Ponte Preta e no Boa Esporte. Nesta temporada, voltou para se consolidar como destaque no time de Fernando Diniz. Já no início do Paulistão, pela segunda rodada, indicou boa forma. Na derrota por 1 a 0 para o Corinthians, rival deste sábado, ganhou elogios. 

"A gente acabou perdendo, mas o Tite me cumprimentou na saída do jogo e disse que havia gostado da minha intensidade em campo", recorda, com uma promessa sobre o reencontro de sábado. "Vamos tentar fazer o mesmo estilo. Vamos jogar pra frente. É uma equipe muito difícil, mas jogando em casa teremos totais condições".

FICHA TÉCNICA 
CORINTHIANS X AUDAX

Data:
23 de abril de 2016, sábado
Horário: 18h30 (de Brasília)
Local: Arena Corinthians
Árbitro: Thiago Duarte Peixoto

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Felipe, Yago e Uendel; Bruno Henrique, Elias, Alan Mineiro, Guilherme e Lucca; André 
Técnico: Tite

AUDAX: Sidão; André Castro, Yuri, Bruno Silva e Velicka; Camacho, Tche Tche e Juninho; Mike, Bruno Paulo e Ytalo
Técnico: Fernando Diniz

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos